BNDES vai dobrar repasse de lucros ao Tesouro Nacional, anuncia Mercadante

 

Aloizio Mercadante, presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), revelou nesta quarta-feira (12) que o banco estatal aumentará significativamente a parcela de seus lucros repassada ao Tesouro Nacional. Esta medida tem como objetivo contribuir para o equilíbrio das contas públicas.

O anúncio foi feito durante o FII Priority Summit, um evento patrocinado pelo governo da Arábia Saudita, realizado no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. O encontro reuniu figuras importantes dos setores público e privado com o intuito de atrair investimentos estrangeiros para o Brasil.

Durante uma coletiva de imprensa, Mercadante destacou a necessidade de resolver a questão fiscal do país, fundamental para garantir a confiança dos investidores e evitar que indicadores como taxas de juros futuras e câmbio subam devido à incerteza econômica.

O presidente do BNDES explicou que o banco destinará 50% do lucro líquido de 2023 ao Tesouro Nacional na forma de dividendos, um aumento substancial em relação ao mínimo de 25% estabelecido pela Lei das S/A. Este montante será transferido ao acionista majoritário do BNDES, que é a União, seguindo o cronograma estabelecido até novembro.

“Estamos destinados a cerca de R$ 16 bilhões, retirando recursos do nosso capital, o que não é uma tarefa simples. Estamos contribuindo mais com o Tesouro, uma postura atípica para bancos públicos, mas consideramos essencial neste momento”, afirmou Mercadante. Este total inclui R$ 5 bilhões referentes ao lucro líquido de 2022.

Na prática, o aumento no repasse de dividendos ajudará a melhorar a arrecadação da União, contribuindo positivamente para o resultado primário, que é calculado subtraindo as despesas das receitas, excluindo os juros da dívida pública. Mercadante assegurou que esta contribuição não afetará as linhas de crédito oferecidas pelo banco, graças às reservas estratégicas mantidas pelo BNDES.

Investimentos Sauditas

O FII Priority Summit é organizado pelo Future Investment Initiative (FII), uma entidade sem fins lucrativos financiada pelo fundo soberano da Arábia Saudita. Mercadante mencionou que o fundo soberano saudita está em negociações para investir no Brasil, ressaltando o potencial da economia brasileira para atrair capital estrangeiro.

“Estamos com a menor taxa de desemprego dos últimos dez anos, o melhor nível de ocupação da história do índice que mede a evolução do mercado de trabalho, a maior massa salarial real da história do Brasil e uma taxa de crescimento da renda da população de 6,1% ao ano nos últimos 12 meses”, enumerou Mercadante, demonstrando otimismo em relação ao futuro econômico do país.