Várias famílias de Belém precisam atualizar os dados do Cadastro Único

logo cad-único e bolsa família

Em Belém, 248.597 famílias estão incluídas no Cadastro Único. Desse total, 115.031 estão no programa Bolsa Família, de acordo com dados do programa divulgados em de dezembro de 2019. Toda pessoa que queira se inscrever em programas sociais importantes como o Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e outros benefícios, precisa ter registro no Cadastro Único. Ele é o principal instrumento do Governo Federal para seleção e inclusão de famílias consideradas de baixa renda em iniciativas para geração de renda e acesso a moradia, por exemplo.

A família que se enquadra e ainda não está inscrita no Cadastro Único pode procurar um dos 12 CRAS (Centro de Referência em Assistência Social) existentes em Belém, além da central do Cadastro Único, localizada na avenida Augusto Montenegro nº 6955, Tapanã, próximo ao Residencial Cidade Jardim II e solicitar o cadastramento, levando o título de eleitor ou CPF, comprovante de residência, e RG. Caso a família possua crianças em idade escolar, deve-se levar também o comprovante de matricula.

A coordenadora do Cadastro Único em Belém, Dayse Penafort, informou que o cadastro é atualizado a cada dois anos, mas caso o integrante do registro tenha uma mudança no período socioeconômico, é fundamental que ele procure atualizar suas informações pessoais sob risco de perder acesso a programas sociais e demais benefícios. “Ao longo do ano são feitos vários cruzamentos de dados. A família que esteja fora do perfil do Cadastro Único é convocada para atualizar o registro e caso não compareça pode ter o bloqueio do cadastro”, informa.

A adesão pode ser feita a qualquer momento, mas o interessado precisa estar atento e manter sempre seus dados atualizados.

Para ter acesso a iniciativa e cadastro feito pelo Governo Federal, as famílias precisam ganhar até meio salário mínimo por pessoa ou ganhar até três salários mínimos como renda mensal total. Apesar de pedir esse perfil, cada programa e benefício social utiliza seu próprio critério para incluir ou não uma família na lista de beneficiários. Apesar disso, todas têm em comum a exigência de registro no Cadastro Único.

Como aderir ao Cadastro Único:

Um representante da família, com idade acima de 16 anos, deve responder às perguntas do cadastro, acompanhado do CPF ou do título de eleitor.

É preciso apresentar os seguintes documentos da familia:

  • Certidão de Nascimento;
  • Certidão de Casamento;
  • CPF;
  • Carteira de Identidade (RG);
  • Certidão Administrativa de Nascimento do Indígena;
  • Carteira de Trabalho ou Título de Eleitor;
  • Comprovante de residência da família

Entre os benefícios garantidos pelo registro no Cadastro único estão: Programa Bolsa Família; Programa Minha Casa, Minha Vida; Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI; Carteira do Idoso; Aposentadoria para pessoa de baixa renda; Passe Livre para pessoas com deficiência; Isenção de Taxas em Concursos Públicos.

Conhece o nosso grupo de notícias regionais em tempo real…

https://bit.ly/36wMDy9