Segurança do Município de Belém se capacita para melhor atender as mulheres vítimas de violências

Capacitar e aprimorar o atendimento à mulher em situação de violência levou guardas municipais de Belém à 14ª edição do Curso Nacional de Atendimento à Mulher Vítima de Violência Doméstica e Familiar.  A capacitação, promovida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), iniciou na segunda-feira, 01, e encerra nesta sexta-feira (5), no auditório da Delegacia Geral, no bairro de Nazaré.

Nesta quinta-feira, quinta-feira, 4, a Prefeitura de Belém, por meio da Guarda Municipal, participou da capacitação com a realização de uma oficina de socialização de conhecimento de enfrentamento à mulher oferecido pela corporação, ministrada pela inspetora Joana Melo.

Ela apresentou aos participantes do curso as atividades da GMB em prol da mulher, entre elas, a sua atuação nos programas Pró-Mulher Pará, em parceria como governo do estado, e SOS Mulher, um aplicativo criado após assinatura de um Termo de Cooperação entre a GMB e o Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA), em 2016.

Outra ferramenta aliada da GMB é o Núcleo de Atenção à Guarda Feminina, criado em março de 2021, que tem como objetivo atender as servidoras da instituição, que são vítimas de algum tipo de violência.

“No dia do lançamento do programa Pró-Mulher, em março de 2022, a GMB atendeu, no mesmo dia, dois casos de violência doméstica, e depois disso muitos outros casos apareceram”, relatou a inspetora e Coordenadora do Núcleo de Atenção à Guarda Feminina (NAGF), Maria José Patrício.

Para ela, lamentavelmente, a violência contra a mulher é comum e registrada no dia a dia das ocorrências da GMB e, por isso, a necessidade dos agentes passarem por formação adequada para o enfrentamento à violência que as mulheres sofrem nas ruas e dentro de casa.

a violência contra a mulher é comum e registrada no dia a dia das ocorrências da GMB e

Violência doméstica – A Coordenadoria da Mulher de Belém (Combel) também esteve no evento expondo os serviços de acolhimento psicossocial e orientação jurídica oferecidos às mulheres em situação de vulnerabilidade social vítimas de violência doméstica.

O coordenador do curso, Thiago Dantas, comentou que “percebi que em Belém, a integração entre as instituições já existe e está fortalecida, mas é preciso aprimorá-lo para melhorar sempre o desempenho dos profissionais”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui