“Se exponha, mas não se queime”, ou Verão Laranja, paraense

Alerta especial para àqueles que se expõem constantemente aos raios solares em sua rotina profissional, no dia a dia ou nas férias

Happy Young Woman At Beach With Orange Hat Applying Suntan Lotion

A Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), apresentou a Campanha Nacional de Prevenção do Câncer da Pele, do ano passado com o título dessa matéria. A publicamos por acharmos pertinente ao veraneio paraense, quando o Sol se apresenta em magnitude esplendorosa, segundo os seus curtidores.

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), todos os anos surgem 176 mil casos de câncer da pele, o de maior incidência no país. Atenta a esse alto índice, a SBD desenvolve, desde 2014, o movimento Dezembro Laranja, com a promoção de uma série de iniciativas de conscientização sobre a prevenção e o diagnóstico precoce da doença, incluindo a importância da foto proteção em suas diferentes formas para a redução dos riscos. Ano passado, pela primeira vez, a campanha continua durante todo o verão, trazendo diferentes ações na internet, ruas, praias e parques.

Sob o slogan “Se exponha mas não se queime”, pretende conscientizar e educar as pessoas sobre os riscos do câncer da pele decorrentes da exposição excessiva ao sol sem proteção, lembrando que filtro solar não é o único cuidado contra a radiação ultravioleta. A mensagem visa atingir, sobretudo, quem trabalha sob o sol ou ao ar livre, bem como as pessoas em seu cotidiano profissional e em momentos de lazer.

“Queremos divulgar para a grande população, especialmente para os trabalhadores que desempenham suas funções expostos ao sol, como carteiros, vendedores ambulantes, operários da construção civil, feirantes e outros, esse conjunto de atitudes, essenciais para que essa exposição prolongada não traga problemas de saúde”, afirma o presidente da SBD, José Antonio Sanches.

A recomendação é de que usem equipamentos de proteção individual (EPI): chapéus de abas largas, óculos escuros, roupas de cubram boa parte do corpo e protetores solares com fator mínimo de proteção solar (FPS) 30. A hidratação constante também faz parte dessas medidas fotoprotetoras, sem esquecer de evitar os horários de maior insolação: das 10h às 16h.

Entre as iniciativas previstas, estão a divulgação de peças publicitárias na internet (Facebook, Instagram e site), com concentração durante o mês de dezembro, que alertam sobre a incidência do câncer da pele e dão dicas de proteção. As mensagens serão dadas pelos personagens Dr. e Dra. Pele, e todas as peças virão marcadas com a hashtag #DezembroLaranja e #ControleoSol. O público interessado também poderá divulgar a campanha nas redes sociais, customizando a foto de perfil, postar o texto com fundo laranja no Facebook ou usar o filtro laranja do Stories no Instagram.

Assim como em anos anteriores, personagens e lideranças em suas áreas de atuação participarão do movimento vestindo a cor laranja e monumentos nacionais serão iluminados com a cor símbolo da campanha, frisando o compromisso com as medidas protetoras. O Dezembro Laranja chegará ainda aos estádios de futebol e ao carnaval carioca, representado pela tradicional bateria da Escola de Samba Portela que, pelo segundo ano, vestirá camisetas na cor laranja em seus ensaios e na sua tradicional Feijoada, a ser realizada no primeiro fim de semana de dezembro.

Ações no RioZoo, AquaRio e Paineiras também ocorreram em dezembro, além da presença do Papai Noel Laranja distribuiu folhetos, desenhos temáticos para colorir e gibis da Turma da Mônica para as crianças. Um filme de animação sobre a fotoproteção foi exibido durante o mês em diferentes cinemas, expandindo a campanha pelo país.

A campanha foi coordenada pelo dermatologista Joaquim Mesquita Filho (RJ). O médico ressalta a mobilização Dezembro Laranja e destaca que o objetivo é promover o esclarecimento de uma doença que demanda uma maior atenção, já que o número de casos tem aumentado nos últimos anos.

“Nós temos como missão orientar a população na identificação dos sinais de câncer da pele e prováveis lesões tumorais que já existam. Orientar que pode ser feita uma proteção saudável contra a radiação ultravioleta, com o uso de roupas adequadas, de filtro solar, e da procura por lugares com sombras, como embaixo de barracas ou árvores. Esses são alguns cuidados que todos podem tomar contra o câncer da pele”.