Santa Casa comemora 370 anos de história e serviço público

Há 370 anos a Fundação Santa Casa é referência no Estado e na região Norte, principalmente no no atendimento materno-infantil de alta e média complexidade. A instituição celebra aniversário no dia 24 deste mês com uma programação alusiva que reconhece o trabalho de qualidade e totalmente púbico, voltado para mães, recém-nascidos e, ainda, às vítimas de escalpelamento e pessoas com fissura labial.

A programação iniciou no semana passada com uma missa e um abraço simbólico de todos os servidores e voluntários ao redor do prédio da fundação. Na última quinta feira (13), uma outra ação homenageou os colaboradores mais antigos e os elogiados da Fundação. A direção da Santa Casa junto com o Ministério Público do Estado e o Museu Paraense Emílio Goeldi, realizaram a plantação de mudas de árvores no terreno do hospital, que ganharam os nomes dos homenageados.

De acordo com o diretor da Fundação, Bruno Carmona, ainda haverá um culto de ação de graças e toda a programação deve culminar no próximo dia 20, quando um grande bolo será partilhado entre os servidores e voluntários para festejar o aniversário.

Bruno Carmona, presidente da Santa Casa do Pará.Foto: Divulgação

“Temos muito a celebrar porque a Santa Casa é o maior hospital eminentemente público do Estado, que atende toda a população paraense e até mesmo pacientes de outros Estados que vêm referenciados para nós. É um grande desafio manter este serviço que, além do atendimento materno-infantil, também se tornou um centro transplantador, com certificação e autorização do Ministério da Saúde. Além disso, atendemos também diversos programas como o de fissurados, de vítimas de escalpelamento e o banco de leite”, lembra o diretor da Santa Casa.

A Santa Casa está em fase de implantação do Programa de transplante hepático, sendo então elevada a mais um patamar de referência em atendimento público.
“Nossa equipe está sendo treinada no Hospital Albert Einstein em São Paulo, pelo Programa do PROADI/Sus, ou seja, uma tutoria que está saindo sem custo pra gente. E com certeza, até o final deste ano, nós já estaremos fazendo os implantes no nosso centro hepático”, revelou Bruno Carmona.

Gestão e eficiência – Carmona também ressalta que, devido à grande demanda, a Fundação necessita realizar parcerias para atender com atenção e qualidade todos os usuários que chegam ou são encaminhados ao hospital. Uma das parcerias, sob coordenação da Secretaria de Estado de Saúde do Pará ( Sespa), ocorre com o Hospital Ophir Loyola.
“Por ser o maior hospital do Estado, sem dúvida nenhuma, existe um grande desafio manter toda a sua estrutura atuando e atendendo os nossos usuários, tendo que cumprir tudo dentro das nossas leis como a da responsabilidade fiscal, da ordenação de despesas. Então essa parceria acontece em alguns procedimentos de doenças graves e complexas, para que a gente não precise transportar o paciente para outros estados da federação”.

Mesmo assim, ele salienta que os serviços prestados por empresas de Diagnóstico por Imagem, Endoscopia e Laboratórios de Análises Clínicas, serão readequados para otimizar o controle e eficiência dos atendimentos oferecidos aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) no hospital. Estas ações duplicarão a capacidade de atendimento com o mesmo orçamento previsto para 2020.

A medida foi necessária depois que foi realizado um levantamento de custos no ano passado na Fundação Santa Casa do Pará. Segundo a direção do Hospital, no laboratório de análises clínicas, grande parte dos exames são realizados por empresas prestadoras de serviços contratadas via licitação pela Fundação. E constatou-se que havia a necessidade de otimização.
“Nunca tinha sido feito um levantamento como esse antes. Depois que fizemos, foi constatado que haviam vários prestadores de serviços para mesma finalidade. Então vimos que podemos seguir a mesma linha de prestação de serviços do hospital Ophir Loyola e do Hospital de Clínicas, em que apenas um prestador é contratado para tal finalidade, readequando os fluxos e despesas sem prejuízo algum ao atendimento, muito pelo contrário, pois incluímos serviços extra padrão que são necessários em determinadas situações clínicas”, disse o presidente.

Apesar da redução para uma empresa prestadora de serviço no laboratório de análises clínicas, Carmona destaca que o setor que também possui servidores concursados não sofrerão cortes. Os servidores efetivos no laboratório irão continuar exercendo suas atividades normalmente, sem necessidade de desvio de função. Ele reforça que não há nenhuma política de privatização ou terceirização.
“Apenas readequamos para garantir melhor eficiência e qualidade no atendimento, sobretudo no fluxo de diagnósticos da parte assistencial da Santa Casa e também para otimizar as contas. À medida que isso acontecer, melhoraremos consideravelmente o ambiente de trabalho de todos nas suas funções. E ninguém será cedido para outro órgão. Pelo contrário, nós estamos recebendo servidores cedidos de outros lugares para somar ao que já temos, por uma questão de deficiência de pessoal que identificamos no ano passado”, explicou Carmona.