Professores da rede municipal debatem alfabetização aplicada na Ejai para estudantes com deficiência

Atualmente, a rede municipal de ensino atende 108 estudantes com deficiência na Educação de Jovens, Adultos e Idosos.

Belém vem desde 2021 fortalecendo a Educação de Jovens, Adultos e Idosos na rede municipal de ensino e uma das iniciativas é a formação permanente dos educadores. Em mais uma dessas atividades de formação a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec) e Centro de Referência em Inclusão Educacional Gabriel Lima Mendes (Crie) promoveu nesta quinta-feira, 2, a I Formação Permanente da Educação de Jovens, Adultos e Idosos, para professores das salas regulares e de recursos multifuncionais.

A equipe de assessoramento da Educação de Jovens, Adultos e Idosos, no Crie, compõe o Núcleo de Inclusão da Educação Básica (Nieb), para atender 108 estudantes com deficiência. Eles orientam os profissionais e estagiários das salas de atendimento educacional especializado, assim como os pais dos estudantes, por meio das avaliações pedagógicas e intervenções educacionais, bem como o encaminhamento para programas específicos do Crie para estudo de caso, muitas vezes em parceria com outras instituições de assistência social para promover a permanência dos estudantes em sala de aula.

A ideia é atender com qualidade e respeito às diferenças, para que os estudantes possam desenvolver as suas potencialidades, avançar no processo de ensino-aprendizagem e ampliar os seus conhecimentos. Durante o encontro a professora Ivanilde Apoluceno abordou o tema Fundamentos Teóricos e Metodológicos da Educação de Paulo Freire.

“A Educação de Jovens, Adultos e Idosos envolve pessoas que vêm de um processo de exclusão e segregação escolar que hoje estão tentando retomar o seu processo de alfabetização e de escolarização. Então, é muito importante que se tenha um projeto pedagógico engajando essas pessoas, das classes populares”, destacou Ivanilde para os 150 educadores que participaram do evento.

Os professores da rede municipal de ensino de Belém confirmam e aprovam a formação. “Para nós é muito importante essa formação. A gente acaba tendo que dar conta de muitas demandas e agora com o apoio do Crie e da equipe da Coejai vai ser muito bom, principalmente depois de tanto tempo que os alunos ficaram fora da sala de aula”, disse a coordenadora pedagógica do Liceu Escola Mestre Raimundo Cardoso, de Icoaraci, Aline Fontes.

A professora Kamila Sastre, coordenadora da Ejai no Crie, também avalia a iniciativa da formação. “É extremamente importante essa parceria entre as coordenações para efetivar e garantir a permanência com qualidade dos nossos alunos da Ejai”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui