Coronavírus chegou no Pará, Hospital das Clínicas recebe treinamento e Santa Casa reforça atendimento para grávidas

O coronavírus é batizado assim por ter uma espécie de “coroa de espinhos” em sua estrutura externa. Esses espinhos se fixam às células como carrapatos e usam uma proteína presente nas membranas celulares saudáveis como cola. Com a conexão, o vírus tem acesso ao interior da estrutura e consegue se reproduzir. Esse processo já é conhecido e descrito por pesquisadores da Universidade de Washington.

O Governo do Estado confirma o primeiro caso do novo Coronavírus (Covid-19) no Pará, no paciente P. R. O. com 37 anos de idade, do sexo masculino, que foi contagiado durante o carnaval na cidade do Rio de Janeiro. Está em isolamento domiciliar e com saúde estável. Assim já estão sendo tomadas medidas preventivas.

Em preparação a pamdemia, a Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV), dentro das ações previstas na prevenção à pandemia, realizou nesta semana, o primeiro Treinamento Geral sobre o Coronavírus para servidores do hospital. Durante o evento também foram repassados protocolos do Plano de Contingência, idealizado pela direção do hospital com base nas orientações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa).

O treinamento foi ministrado pelo fisioterapeuta assistencial do Hospital de Clínicas, Daniel Torres, que destacou de que forma os profissionais da área da saúde devem se proteger. falou, ainda, sobre os cuidados que a população deve tomar para evitar a contaminação. “As recomendações são as mesmas: evitar aglomerações, lavar as mãos com água e sabão ou utilizar de álcool em gel e evitar contato pessoal com pessoas com quadro gripal”. Ele diz ainda que “os principais sintomas da doença são desconforto respiratório, tosse e febre, portanto, não é recomendável procurar ajuda médica se não apresentar os três sintomas.”

Apesar da FHCGV não ser o hospital de referência para o tratamento do novo vírus, a direção montou um plano de contingência pensando nos usuários, em especial os de referência do hospital, que são de alto risco: cardiopatas; hipertensos e; diabéticos, pensando nisso estamos este plano é focado nas emergências psiquiátrica e cardiológica, e uma outra porta aberta, que é a obstetrícia, para pacientes referenciados. Nesses espaços, os servidores estão preparados e informados sobre como proceder caso algum paciente apresente os sintomas do Covid-19

Outra medida estabelecida pela direção do hospital foi a implantação de novas regras de visitação no hospital. Reduzidos nas UTIs e enfermarias, sendo somente um visitante e um acompanhante em horários pré-estabelecidos. Tínhamos um plano mais liberal de visitas, mais humanizado, porém tivemos que interrompê-lo. Vamos fazer o acompanhamento dos servidores que apresentarem algum sintoma gripal e vamos continuar o trabalho de orientação de boas práticas de higiene.

Na Santa Casa pacientes com sintomas somente serão atendidos quando encaminhados via central de regulação, pois a instituição não possui atendimento de urgência para outras áreas, somente a obstétrica.

A Santa Casa continuará com portas abertas para receber diretamente na maternidade mulheres grávidas ou que necessitam de outros atendimentos obstétricos, assim como as que apresentem sintomas suspeitos para Covid-19. Essas pacientes passarão por avaliação e serão internadas, quando necessário, dentro de um fluxo específico, que priorizará a segurança dos pacientes e demais usuários dos serviços da instituição.

Além da diferenciação dos fluxos de atendimento de grávidas com sintomas e sem sintomas, a Santa Casa vai estabelecer limitações no número de visitantes a pacientes no hospital. Nas UTI’s pediátrica e neonatal, apenas os acompanhantes poderão estar com os pacientes.

Nesta semana o governador do Pará,  Helder Barbalho, assinou um decreto que dispõe sobre as medidas de enfrentamento à pandemia do coronavírus (COVID-19), para os próximos 15 dias dentro do Estado do Pará. Entre elas a restrição de eventos e reuniões públicas e privadas acima de 500 pessoas, a dispensa de servidores para que realizem suas atividades home office quando a mesma puder ser realizada de modo eletrônico ou telefônico, e a dispensa de servidores que integram o grupo de risco.