Primeira aluna egressa do curso de Meio Ambiente da Prefeitura de Belém é aprovada no IFPA

Nesta segunda-feira, 30, o nome da ex-aluna da Fundação Centro de Referência em Educação Ambiental, da Escola Bosque (Funbosque), consta na lista dos aprovados do curso superior de Gestão em Meio Ambiente, do Instituto Federal do Pará (IFPA).
A jovem fez parte dos 16 concluintes do curso técnico subsequente ao ensino médio – Técnico em Meio Ambiente, que participaram na sexta-feira, 27, da cerimônia de formatura no auditório José Mariano Klautau, na Funbosque.

Na colação dos novos técnicos ambientais a emoção tomou conta dos formandos, familiares e professores. A banca foi composta pelo presidente da Funbosque, Alickson  Lopes; coordenadora geral da Funbosque, Wany Góes; e professores Agnaldo Rabelo, Célio Costa e Carlos Alencar. Também contou com a presença do juramentista; Tiago Sustenre, da oradora da turma Maria Eliana e do mediador Jader Gama.

Alickson Lopes destacou que a escola estava entregando para o mercado de trabalho, profissionais qualificados e com valores para contribuírem na transformação do mundo.

“Esse momento é um marco importante para escola, em especial por termos vivido anteriormente uma ameaça de fechamento do curso técnico. Hoje entregamos profissionais que vão fazer a diferença na luta contra as mudanças climáticas e dentro das suas comunidades. Eles são capazes de desenvolver  projetos de cunho social ambiental e uma atividade que proporcione uma nova dinâmica na economia, respeitando o meio ambiente”, explicou o titular da Funbosque.

Continuidade – Segundo a egressa Claudete Nascimento o interesse em continuar os estudos e se lançar na faculdade foi devido às aulas e aos projetos oferecidos na escola.

“Na Funbosque tive um ensino de qualidade, cheio de imersão em conhecimentos e gratuito. Os professores sempre nos incentivaram a continuar os estudos. Acabo de concluir o meu curso técnico e já sou aprovada no vestibular, é uma felicidade imensa”, contou Claudete.

Já para o formando Deivid Corrêa, “é muito gratificante concluir o curso. Eu realizei o meu sonho de estudar na Funbosque e todos nós alunos enfrentamos o desafio de quase o curso ser retirado da escola e estudar na pandemia (covid-19), mas sou grato pelo apoio dos professores que nos fizeram chegar até aqui”.

Para a coordenadora geral da Funbosque, Wany Góes, foi inovador a ampliação do projeto para poder proporcionar o acesso da comunidade de Caratateua aos cursos técnicos na fundação. “É um grande orgulho ter chegado até aqui dentro desse projeto. E vamos continuar contribuindo com a vida profissional desses alunos que estamos formando, dando seguimento a outras etapas de capacitação”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui