Prefeitura já recebe inscrições para a Conferência Municipal de Produção Familiar e Agroecologia

Após realizar os Seminários Preparatórios com dezenas de agricultores e agricultoras que atuam com a produção familiar nas ilhas de Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba, a Prefeitura de Belém já recebe inscrições para a Conferência Municipal de Produção Familiar, Transição Agroecológica e Sustentabilidade, por meio da Plataforma Participativa Cidadã “Tá Selado”. A Conferência será no próximo dia 30 de junho, das 8h às 18h, na Escola Bosque (Funbosque) de Outeiro.

Podem se inscrever produtores familiares, movimentos sociais e associações relacionadas à agricultura familiar. E também órgãos municipais, estaduais e federais, universidades e entidades públicas e privadas envolvidas com o tema. A inscrição é gratuita.

Todos esses atores demandam junto à Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Economia (Secon), que coordena a Conferência, a formulação de políticas públicas efetivas e sustentáveis para o desenvolvimento da agroecologia no município.

Desta forma, a ideia da Conferência no Município de Belém surgiu da necessidade de debater e formular estratégias para executar políticas públicas integradas para apoiar e fomentar a produção, comercialização e consumo agroecológico na capital paraense.

Dentro desse contexto, a Prefeitura vai realizar, coordenar e organizar em parceria com outras instituições das esferas estadual e federal, a Conferência, envolvendo movimentos sociais, instituições de ensino, pesquisa etc, em busca de soluções para fortalecer a agricultura familiar na capital paraense.

Seminários – Nos últimos dias 9, 11 e 13, nas ilhas de Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba, ocorreram Seminários Preparatórios em busca de informações e sugestões de temáticas para serem inseridas na Conferência Municipal.

Para Teófila Nunes, agricultora e assentada no assentamento Mártires de Abril, que participou do  Seminário Preparatório da Ilha de Mosqueiro, realizado na quinta-feira, 9, a participação foi importante porque foi uma preparação para a Conferência.

“Produzimos 75% dos alimentos que vão para a cidade. Então, esse evento é importante para nós para a construção de políticas públicas que possam facilitar a produção dos alimentos”, disse a  agricultora.

Ainda segundo ela,  a maior dificuldade dos produtores rurais é a falta de fomento. “Precisamos de estrutura e de transporte. A gente pensa que criando essas políticas vai avançar mais a produção na ilha de Mosqueiro”.

Na ilha de Outeiro (Caratateua), a agricultora Rosilene Souza participou do Seminário Preparatório. Ela reforça o que Teófila disse. “A Conferência é importante, porque vai nos ajudar. Tenho açaí, taperebá e outros, e a maior dificuldade dos pequenos produtores é como escoar essa produção”, afirma Roselene.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui