Prefeitura desenvolve projetos para mais espaços verdes em Belém

Plantio de Dracena Sanderiana.

Plantar 120 mil mudas de espécies vegetais até o final de 2024. Essa é a meta da Prefeitura Municipal de Belém, através da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Semma), em busca de melhorias do meio urbano da capital paraense, bem como da qualidade de vida da população.

A Semma vai investir em ações de paisagismo natural, ampliar os espaços arborizados e realizar o plantio de novas mudas, especialmente nos bairros que apresentam maior carência em arborização.

De acordo com o último censo realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2010, Belém é a capital brasileira com o segundo menor índice de arborização, com apenas 22,3% da cidade com cobertura verde. A arborização referida na pesquisa se refere aos vegetais de vias, aparelhos públicos (praças, canteiros, calçadas e etc), e nas redondezas dos domicílios. Por isso, a meta estipulada pela Prefeitura é viabilizar o plantio de 120 mil novas árvores na capital.

Semma aumentou a produção de mudas para as principais vias da capital

Para atingir a meta estabelecida a Semma estendeu a capacidade de produção de mudas arbóreas e ornamentais. De acordo o diretor do Departamento de Planejamento e Paisagismo (DPP) da Semma, Thales Miranda, em janeiro deste ano o órgão contava com uma produção de 5 mil mudas, já em agosto a produção alcançou a marca de 73 mil mudas, um crescimento de quase 155 vezes.

Grande parte desta produção, cerca de 20 mil mudas, será destinada aos corredores da Av. Perimetral, Av. Augusto Montenegro, Av. Centenário e Av. Júlio César.

“Com exceção da Av. Augusto Montenegro, em alguns pontos essas avenidas quase não têm árvores e passam por áreas periféricas da cidade. Temos um grande desafio em arborizar áreas periféricas devido à ausência de espaço adequado nas ruas. Priorizamos as principais avenidas que passam pela periferia. No caso da Júlio César o desafio é a previsão de uma extensão do BRT, então nosso planejamento deve estar alinhado ao da Superintendência de Mobilidade Urbana”, explica Thales Miranda.

Atualmente a Semma desenvolve três grandes projetos de arborização e manutenção contínua para as principais avenidas da cidade: Almirante Barroso, Pedro Álvares Cabral e Dr. Freitas no trecho com a Av. Duque de Caxias. No mês de setembro, o setor de arborização da Semma realizará uma ação ambiental no canal São Joaquim, no trecho entre Av. Júlio César e Av. Arthur Bernardes. 

Arborização e paisagismo também no centro da cidade

Para a área central da cidade há projetos de paisagismo sendo elaborados para implantação de plantas com folhagens maiores, como copo-de-leite, filodendro gold e jiboinha, ideais para sombreamento, ao longo das principais avenidas como Nazaré e José Malcher, entre outras, e todas as travessas que passam por essas vias.

As espécies plantadas são escolhidas estrategicamente para melhor atender as necessidades e gerar o melhor custo- benefício de implantação e manutenção. O departamento de Planejamento de Paisagismo da Semma conta com o apoio de um engenheiro agrônomo e paisagista para articular os projetos com a equipe de implantação e produção para definir quais espécies serão plantadas em cada área da cidade.

O aumento do número de árvores nos espaços públicos proporciona, além de uma estética mais harmoniosa, um equilíbrio térmico, reduzindo os efeitos do fenômeno denominado “ilha de calor”, muito comum em grandes cidades, ocasionado principalmente pela presença de prédios altos, ausência de arborização adequada e emissões de gases poluentes.

População se queixa da falta de arborização em Belém

Essa é a principal queixa das pessoas que utilizam as vias e praças da cidade para se locomover ou praticar exercícios ao ar livre. Para Roberto Caxias, 35, professor de educação física, que tem a bicicleta como seu principal meio de transporte, é notória a diferença entre um percurso por vias arborizadas e vias que carecem de áreas verdes.

“O percurso torna-se mais agradável quando consigo fazê-lo por ruas e avenidas que têm bastante árvores”. Roberto também considera importante incentivar a aproximação das pessoas com a natureza, como programações e exercícios ao ar livre, para que a própria população tenha consciência ambiental e ajude na preservação das áreas verdes da cidade “É comum ver pessoas depredando praças, jogando lixo em canteiros e não tendo cuidado com o ambiente. A população também precisa fazer sua parte na preservação desses espaços” alerta.