A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), começou a implantar, em três feiras da capital paraenses, lixeiras subterrâneas para o descarte de resíduos orgânicos. O objetivo do projeto é melhorar o descarte de lixo nos espaços, que têm grande produção de resíduos, como é o caso de feiras e mercados.


As feiras contempladas nessa fase de teste do projeto são as da Cremação, de São Brás e da 25, no bairro do Marco.

Experiências positivas – Cada lixeira subterrânea tem a capacidade volumétrica de descarte de 5 m³ de lixo. De acordo com a Sesan, a ideia é que haja um intervalo maior de coleta de resíduos nesses espaços, após a implantação da tecnologia que, por sua vez, já foi bem sucedida em outras cidades brasileiras.

O diretor do Departamento Resíduos Sólidos da Sesan, Pedro Piqueira, explica que, além de tornar esses espaços ambientalmente mais saudáveis, a secretaria busca também reduzir os espaços de descarte de lixo a céu aberto em locais que sofrem historicamente com esse problema.

Outros pontos – “Esse teste dando certo, o que tem grandes chances de acontecer, as lixeiras serão implantadas também em outros pontos da cidade, beneficiando mais gente”, afirma Pedro Piqueira.

A implementação de lixeiras subterrâneas é mais uma das várias estratégias que a Prefeitura de Belém vem adotando na cidade, com o intuito de solucionar o problema do descarte irregular de lixo aliado aformações em educação ambiental para a população.