Planetário do Pará reabriu as portas para o público

“O Planetário retornou para os paraenses”. A frase da diretora do Centro de Ciências e Planetário da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Sinaida Vasconcelos, durante a cerimônia de reinauguração da Cúpula, resumiu o sentimento de monitores e funcionários, que aguardavam ansiosos a retomada das sessões de visitação pública e das escolas ao espaço. Durante a solenidade, o reitor da Uepa, Juarez Quaresma, anunciou a parceria com a Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas no Pará (Fapespa), que resultará em novas bolsas de monitoria para o Centro.

De portas abertas novamente ao público, o Planetário retomou as atividades. “Esse é um momento muito marcante para todos nós, que ajudamos a fazer deste um local de referência principalmente para o público estudantil. Sabemos o quanto a nossa região é carente de espaços como esse. Essa reabertura representa a possibilidade de acolher novamente centenas de crianças, jovens e adultos que vêm em busca de conhecimento”, comemorou a diretora.

“O Planetário tem esse efeito sobre as pessoas. Quando você chega aqui e se depara com tudo isso, sente um impacto. É inevitável”, observou o técnico de Física e Astronomia do Centro, Victor Takeshi. Ele chegou ao Centro em 2011, ainda como monitor, e hoje já faz parte do quadro de funcionários. “Este é um espaço importantíssimo para quem está galgando os degraus da aprendizagem. Na escola, os alunos aprendem a teoria, aqui, eles podem observar um pouco da prática. Isso acaba sendo bem empolgante para eles”, explicou.

A grande prova da relevância do serviço prestado pelo Centro de Ciências e Planetário foi a rapidez com que a agenda de visitas para o mês de junho foi preenchida. Inclusive, agora já estão sendo feitos agendamentos para o mês de agosto. As estudantes do Ensino Médio, Brenda Silva, de 19 anos, e Larissa Rochelly, de 14, são parte de um dos projetos do Planetário e não escondem sua paixão pelo espaço. “Eu me identifiquei de cara com a Biologia. É a minha sessão favorita”, contou Larissa. Brenda também prefere essa área e juntas, em uma das atividades do projeto, elas atuam no desenvolvimento de um jogo de tabuleiro que ensinará aos estudantes tudo sobre células.

O reitor fez questão de visitar todos os espaços do Centro. Inspirado pela atuação dos monitores, ele relembrou seu tempo de graduando, quando iniciou o primeiro estágio. “Eu me apaixonei por fazer ciência. Hoje, acredito que sou mais professor e pesquisador do que médico. Ver a dedicação destes jovens a uma área tão importante para o desenvolvimento do país é emocionante”, disse.

Durante seu discurso, Quaresma aproveitou para anunciar a proposta de parceria com a Fapespa. “Recebi uma ligação hoje do presidente Eduardo Costa, e ele me informou que soube da reabertura do Planetário e que gostaria de iniciar uma parceria para ofertar bolsas de monitoria. Isso mostra como o trabalho desenvolvido aqui é importante para despertar a vocação dos jovens para a pesquisa e até para a docência”, concluiu. O edital para as novas bolsas poderá ser lançado no próximo mês. A cerimônia de inauguração culminou com a demonstração das novas apresentações possibilitadas pela atualização do sistema.

Kwarahy

Com a nova fase, a Cúpula acrescenta ao nome a palavra indígena Kwarahy, que significa Sol em tupi-guarani, elemento natural de grande importância para os povos indígenas. A escolha do nome Kwarahy expressa a proposta de conexão com a energia que emana do sol, para ‘encher de luz’ a trajetória do Planetário do Pará ao resgatar e homenagear as raízes, os povos indígenas e os saberes acerca da natureza e da astronomia.

As escolas públicas e particulares podem agendar visitas na Cúpula Kwarahy e no Centro de Ciências, exclusivamente, pelo e-mail [email protected], ou de modo presencial, mediante ofício. As sessões estão programadas para as terças e sextas-feiras, às 8h30 e às 14h30. Para as escolas particulares é cobrada uma taxa de R$ 5 por aluno. Para as escolas públicas, a visita será gratuita.

O público em geral não precisa agendar a visita e terá, preferencialmente, como opção as sessões na Cúpula aos sábados, às 16h e 17h, já a partir do dia 28. Durante a semana, a meia entrada está R$ 5 e a inteira R$ 10. Aos sábados, a meia custa R$ 2,50 e a inteira R$ 5. O Centro de Ciências e Planetário está localizado na avenida Augusto Montenegro, km 03, em Belém, e é aberta de terça a sábado, exceto feriados.