PF combate desmatamento ilegal em unidade de conservação no Pará

Flona do Jamanxim acumula 160 mil hectares de floresta devastada

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quarta-feira (6) a Operação SOS Jamanxim, de combate ao desmatamento ilegal na Amazônia, especificamente na Flona do Jamanxim, unidade de conservação com área superior a 1,3 milhão de hectares, localizada no município de Novo Progresso, no Pará.

Segundo a PF, os investigadores utilizam dados de satélite de alta resolução do Programa Brasil Mais. As imagens indicam que os criminosos desmataram mais de 30 mil hectares de floresta, o equivalente a 30 mil campos de futebol. Os laudos indicam que quase 16 mil hectares desmatados ficam dentro da unidade de conservação. De acordo com as investigações, desde sua criação, a Flona do Jamanxim acumula mais de 160 mil hectares de floresta devastada.

O tipo de desmatamento praticado na área, o corte raso, é considerado o mais danosa à natureza, pois remove totalmente qualquer forma de cobertura vegetal, com o objetivo de plantar pasto e criar gado. O modus operandi dos criminosos é sempre o mesmo: invadem terras públicas da União, fazem o corte seletivo da madeira economicamente viável e depois suprimem toda a vegetação, inclusive, com uso de fogo.

Cerca de 60 policiais federais cumprem quatro mandados de prisão temporária e 18 de busca e apreensão em três estados (Pará, Mato Grosso e Santa Catarina). Os mandados foram expedidos pela Justiça Federal, no Pará.

A Justiça determinou também o sequestro e bloqueio de bens dos investigados até o valor de mais de R$ 310 milhões, visando à reparação do dano ambiental, conforme valores quantificados em laudos periciais.