Pará participa de Fórum da Floresta Tropical de Oslo 2022, na Noruega

O Governo do Pará, com a representatividade do titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), secretário Mauro O’de Almeida, se faz presente no Fórum da Floresta Tropical, que ocorre em Oslo, capital da Noruega. O evento ocorreu nesta terça-feira (21) e quarta-feira (22), respectivamente. O Fórum é uma importante conferência global que reúne formuladores de políticas e profissionais da sociedade civil, do setor privado e de organizações do setor público que trabalham nos níveis global, nacional e subnacional para reduzir e reverter o desmatamento tropical.

A conferência é organizada pela Norad, a Agência Norueguesa de Cooperação para o Desenvolvimento, em nome da Iniciativa Internacional Norueguesa para o Clima e as Florestas (NICFI). Neste segundo dia de atividades, o secretário Mauro O’de Almeida participou do painel ‘Transição para commodities livres de desmatamento’ abordando as iniciativas do Pará sobre o tema.

“Estive participando de um painel de como o setor privado pode ajudar nas commodities livres de desmatamento. Expus aqui o que o Pará tem feito até agora para a construção de pontes com o setor privado, a exemplo do que ocorre nos Territórios Sustentáveis, CAR 2.0, Selo Verde, Fundo garantidor do Banpará (Banpará-Bio) e mais especificamente dizer que a gente tem vontade de fazer em conjunto com o setor privado, com terceiro setor, um apoio em rede, para que a gente possa, primeiro, fazer em rede com que pequenos e médios produtores rurais tenham acesso a créditos, tenham acesso à assistência técnica rural e possam fazer com que a sua atividade seja mais sustentável possível. Daí a necessidade de juntar esforços com todos que estavam aqui e mais os que estão no Brasil para que possamos chegar a um bom denominador comum”, ressaltou o titular da Semas, Mauro O’de Almeida.

No Pará, as iniciativas listadas já refletem resultados significativos a exemplo do Território Sustentável (TS) que promove o ordenamento fundiário, o fortalecimento sustentável das cadeias produtivas já estabelecidas e a inserção de outros meios produtivos. Após a implantação no TS PA-279, a política expandiu para o “TS BR-235”, o “TS Baixo Araguaia” e o “TS Carajás”. Além disso, foi criada a plataforma Agrotag que oferece eficiência e segurança com o gerenciamento das propriedades, informações de produção e renda.

Vale ressaltar ainda que foi criada a Estratégia Estadual de Bioeconomia e que já está sendo construído, por meio de um diálogo democrático, com a instauração de um grupo de trabalho que reúne mais de 40 instituições envolvidas, o Plano Estadual de Bioeocnomia (PlanBio). O Plano prevê a valorização de ativos ambientais para criar um novo modelo de desenvolvimento. A segunda rodada de oficinas para a construção do Plano, que será entregue em Outubro, ocorrerá no final deste mês de junho.

Por Aline Saavedra (SEMAS)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui