Pará está no top 10 em geração de empregos no Brasil

O Pará foi o 10º estado do País que gerou mais empregos, no comparativo entre desligados e contratados, no último mês de novembro. Segundo o Ministério da Economia, foram admitidos no mês 23.653 pessoas.

No período, foram desligadas 20.530, o que gerou um saldo positivo de 3.123 postos. Foi o primeiro estado do Norte na criação de vagas. O segundo colocado foi o Amazonas, com saldo positivo de 1.589 vagas de trabalho.

No mesmo período do ano passado, o Pará também apresentou saldo positivo de empregos formais, só que bem menor que o verificado este ano. Foram feitas naquela oportunidade 21.012 admissões contra 20.455 desligamentos, gerando um saldo positivo de 557 postos de trabalhos.

Segundo informou o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese-PA), com o saldo alcançando no mês passado, o Estado já acumula um total de quase 19 mil postos de trabalhos gerados em 2019, de janeiro a novembro. A maioria dos postos de trabalhos envolveu os setores Serviços, Comércio, Indústria, Extrativa Mineral, Construção Civil e Agropecuária.

Ainda com base nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), no mês de novembro o destaque ficou para o Comércio, com saldo positivo de 2.493 postos de trabalhos, seguido do setor Serviços (430 vagas), Agropecuária (129) e o Setor Serviços de Indústria e Utilidade Pública, com saldo positivo de 62 postos. Na outra ponta, o destaque negativo ficou por conta da Construção Civil com a perda de 60 postos de trabalhos.

Crescimento

O balanço do Departamento sobre a trajetória do emprego formal no Estado aponta que no ano de 2019 foram feitas em todo o território paraense 264.789 admissões, 245.868 desligamentos e a criação efetiva de 18.921 postos de trabalhos, garantindo crescimento de 2,61% na geração de empregos formais. O setor que mais se destacou neste período foi o Serviços, com saldo positivo de 7.485 postos, seguido do Comércio (6.793 vagas).

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de novembro mostram o saldo positivo de 99.232 vagas de trabalho, resultado de 1.291.837 admissões e 1.192.605 desligamentos no período. No acumulado do ano, foram criados 948.344 empregos com carteira assinada.

Quase 100 mil empregos gerados no país

– O mercado formal de trabalho registrou a geração líquida (admissões menos demissões) de 99.232 empregos em novembro. Foi o oitavo mês consecutivo de criação de novas vagas com carteira assinada e o melhor resultado para novembro desde 2010, quando foram criados 138.247 empregos. No mesmo período do ano passado, foram abertos 58.664 postos.

– Entre janeiro e novembro, as contratações com carteira assinada somaram 948.344, segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério da Economia nesta quinta-feira. No acumulado até outubro, haviam sido criados 841.589 novos empregos com carteira assinada no Brasil.

– Os empregos com carteira assinada em novembro foram puxados pelo comércio, que respondeu por saldo positivo de 106.834 contratações, sobretudo no segmento varejista.