Os cuidados e planejamento para começar uma atividade física

Praticar atividades físicas sem preparo ou sem conhecimento sobre a saúde do coração pode trazer riscos e, em casos extremos, até levar à morte. Para começar ou recomeçar uma atividade física é recomendável procurar um médico e fazer uma avaliação, especialmente se o exercício for de alto impacto.

A Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo divulgou na última semana um alerta sobre os riscos a que os “atletas de verão” estão sujeitos. Segundo a entidade, ataque cardíaco fulminante é a principal causa de morte durante as atividades físicas.

Se o indivíduo tiver mais de 35 anos ou histórico de doença cardíaca na família, os cuidados devem ser redobrados, porque as chances de morte súbita são maiores. O infarto pode ocorrer em qualquer idade, mas idosos têm chance maior de sobrevivência porque, com o passar da idade, surgem vasos colaterais que irrigam o coração e ajudam a salvar um paciente após parada cardíaca.

“Hoje as pessoas vivem mais, mas também são mais sedentárias, não têm tempo para o exercício e se alimentam mal. A combinação de sedentarismo com falta de tempo e alimentação inadequada resulta em excesso de peso. Aí vêm as promessas milagrosas de final de ano.

De uma hora para a outra, a pessoa resolve praticar esporte sem saber como está a pressão, a glicemia e o coração”, afirma o presidente da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, o médico José Francisco Kerr Saraiva.

“Quando você começa a se exercitar, a pressão sobe porque o coração é requisitado para uma demanda maior de sangue. O resultado pode ser a morte”, diz o médico. Foi o que ocorreu com o humorista Bussunda, que morreu na Alemanha, durante a Copa do Mundo de Futebol de 2006, após uma partida de futebol com amigos.

Músculos

Além do coração, o resto do corpo também sofre com o excesso repentino de exercícios sem orientação de um profissional. “Há uma sobrecarga das articulações, porque o corpo não está acostumado com o exercício realizado.

Existe o risco de lesões musculares, por falta de flexibilidade e coordenação motora, e aumentam as chances de lesões de ligamento de joelhos e ombros”, diz Karina Hatano, médica com mestrado em medicina do exercício e do esporte.

Ao final, é preciso repor energia e a proteína. A quantidade depende da intensidade, tempo de treino, índice de gordura e massa muscular. Um nutricionista pode indicar o cardápio ideal para cada um.

“As pessoas acham que podem correr e fazer musculação de uma hora para a outra. É imprescindível fazer uma avaliação médica, evitar bebida alcoólica, parar de fumar, dormir bem e adotar hábitos e alimentação saudáveis”, afirma Murilo Alves, personal trainer.

Para ele, o ideal é começar com caminhadas leves três vezes na semana, aumentando progressivamente tempo e intensidade. Se a opção for pela musculação, treinar em dias alternados, com cargas leves e exercícios de adaptação muscular e cardíaca.

“A dor não é indício de bons resultados, como muitos pensam, mas que você fez algo errado ou exagerou nas atividades”. Bom senso é um ótimo parceiro do esporte, de acordo com os especialistas consultados.

Hidratação

Durante o treino, de acordo com os especialistas, é preciso se hidratar e repor os sais. Se a atividade física durar até uma hora, com pequena e média intensidade, basta beber água. Caso seja longa e intensa, é recomendável acrescentar isotônico ou água de coco.