O fotógrafo parisiense Vincent Rosenblatt chega à Belém para um encontro inédito!

Vincent Rosenblatt descobriu o Brasil, entre os anos de 1999 e 2000, quando realizou um intercâmbio feito com uma bolsa de estudos da Collin- Lefranc, na FAAP em São Paulo. Antes disso, estudou na Universidade de Sorbonne em Paris, trabalhou como fotojornalista e descobriu a fotografia na Sibéria. Também ingressou na renomada École Nationale des Beaux-Art.

Seu trabalho é representado internacionalmente em várias coleções particulares e já foi publicado em reconhecidos periódicos como New York Times (Lens), National Geographic, Le Monde, Courrier International, Dagens Næringsliv, Repubblica Delle Donne, Afisha-Mir, entre outros. As obras de Vincent estão no acervo permanente de reconhecidas instituições públicas como a Maison Européenne de la Photographie e Paris e o CACP Vila Pérochon.

Rosenblatt é um fotógrafo parisiense, mas vive e trabalha no Rio de Janeiro, onde desenvolveu um de seus primeiros trabalhos de pesquisa visual. A cena foram os Bailes Funks Cariocas, o qual documenta desde 2005.

Desde então, o fotógrafo representa com ousadia, sensibilidade e originalidade as peculiaridades das mais diversas culturas populares e periféricas.  Exemplo disso foi o que fez ser um dos principais protagonistas da exposição “Rio, uma paixão francesa”, da qual fez parte ainda no ano de 2015, em homenagem aos 405 anos da cidade do Rio de Janeiro.

Juntamente com cultura do funk carioca, Rosenblatt já desenvolveu trabalhos fotográficos dos “Bate-bolas”, representados pelos “clóvis”, que vindos dos morros cariocas com fantasias extravagantes e exóticas, fazem parte do carnaval secreto do Rio de Janeiro.

Em Niort, pequena cidade francesa, o fotógrafo trabalhou em “Wesh- La Brèche”, onde registrou jovens das mais diversas origens e personalidades convivendo e segundo Vincent “se descobrindo”.

Além disso, Rosenblatt realiza, desde 2008, “O culto das Aparelhagens” com o tecnobrega de Belém do Pará. O artista já visitou e registrou algumas das principais representações da identidade amazônica do inicio do século XXI como o SuperPop – a Águia de fogo, Rubi – a nave espacial do som e o Badalasom com o búfalo do Marajó.

Atualmente, Vincent acabou de fechar três exposições em Paris, Amesterdã e Rio de Janeiro e chega à Belém, pela segunda vez, desde o inicio de sua parceria com a Aliança Francesa de Belém e o apoio do Institut Français de Brasília.

Com o objetivo de discutir sobre o seu trabalho, com destaque ao projeto que realizou juntamente às culturas periféricas das aparelhagens de Belém e apoiado ao seu acervo de fotos, Rosenblatt estará pela primeira vez na Aliança Francesa de Belém na sexta-feira, dia 17 de fevereiro, a partir das 18h para um bate-papo que promete muitas trocas e aprendizados. O encontro, que acontecerá em português e francês, ocorrerá no Salão Cultural da AF Belém e será aberto ao público.

A Aliança Francesa de Belém acredita e apoia esse tipo de iniciativa, pois acredita que é uma alternativa de mostrar para o universo das galerias e das revistas de arte contemporâneas internacionais um traço emblemático, único e marcante da cultura popular paraense!

Serviço

Bate-papo e diaporama comentado com Vincent Rosenblatt

Dia: 17 de fevereiro, sexta-feira.

Hora: 18h

Local: Salão Cultural da Aliança Francesa de Belém (Tv. Rui Barbosa, 1851)

Entrada franca.