O currículo lattes é importante para a sua carreira?

Muitos profissionais entendem a importância de se ter um currículo bem estruturado para conseguir uma posição no mercado de trabalho. Mas na hora de se candidatar uma vaga, a maioria recorre ao modelo “vitae”, que é um histórico da trajetória e experiências do candidato. Contudo, existe uma outra modalidade importante, principalmente para pesquisadores e interessados em seguir carreira acadêmica: o currículo lattes.

O que é um currículo lattes?

O currículo lattes é um documento online detalhando experiências, com foco em produção acadêmica, que deve seguir os padrões da Plataforma Lattes, sistema de currículos virtual gerenciado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Nomeado em homenagem ao cientista brasileiro César Lattes, a iniciativa integra as bases de dados curriculares, grupos de pesquisa e instituições em um único sistema de informações, focado em ciência e tecnologia.

De acordo com a própria plataforma, “o currículo lattes se tornou um padrão nacional no registro da vida pregressa e atual dos estudantes e pesquisadores do país, e é hoje adotado pela maioria das instituições de fomento, universidades e institutos de pesquisa do país. Por sua riqueza de informações e sua crescente confiabilidade e abrangência, se tornou elemento indispensável e compulsório à análise de mérito e competência dos pleitos de financiamentos na área de ciência e tecnologia”, discorre a apresentação.

A principal diferença entre o currículo vitae e o lattes é que o último é mais longo e abrangente. Todas as informações sobre a carreira profissional devem ser apresentadas detalhadamente e muitos dos dados inseridos são verificados pelo CNPq por meio de diplomas e certificados. Além disso, a plataforma valoriza mais a trajetória acadêmica, com ênfase em produções científicas, áreas de atuação e experiência de pesquisa em ciência e tecnologia.

E para que serve?

Quando foi criado nos anos 80, o principal objetivo da implementação do currículo lattes era padronizar as informações dos pesquisadores brasileiros, além de criar uma base de dados de consulta do setor. Porém, com as novas tecnologias e incentivos à área de pesquisa, o instrumento começou a ser utilizado por universidades, faculdades, centros de pesquisa e instituições ligadas a pesquisa para avaliar estudantes, docentes e pesquisadores.

O currículo lattes se tornou uma etapa essencial em processos seletivos ligados a pesquisa e formação acadêmica (como iniciação científica, mestrado e doutorado), bolsas de pesquisa, intercâmbios, participação em projetos acadêmicos e eventos científicos, além da concessão de benefícios no meio acadêmico de forma geral. Muitos estudantes da graduação também são selecionados para iniciativas especiais de suas instituições por meio do currículo lattes. Qualquer pessoa pode criar o seu por meio da plataforma.

Como fazer um currículo lattes

#1 Crie seu cadastro

Ao entrar na  Plataforma Lattes, selecione o botão de cadastro novo currículo. O sistema pedirá que você informe sua nacionalidade e e-mail. Em seguida, será preciso criar uma senha e digitar os caracteres apresentados como sistema se segurança. Para criar o currículo lattes, é indispensável possuir um Cadastro de Pessoa Física (CPF), uma vez que a informação é utilizada para garantir a veracidade dos profissionais cadastrados.

#2 Insira seus dados pessoais

Além do CPF, o cadastro pede que você informe seu nome, sobrenome, data de nascimento, nacionalidade, gênero, raça, número da identidade e nomes dos pais. Uma foto de perfil também será solicitada durante essa etapa. Evite usar selfies e opte por retratos mais formais.

#3 Detalhe sua experiência acadêmica

É um dos passos mais importantes no currículo lattes pois as informações desse segmento são as mais avaliadas em processos seletivos. A cada experiência, é preciso informar o nome da instituição no qual ela ocorreu, ano de ínio e conclusão e a área de estudo. No caso de publicações, é preciso enviar certificados de comprovação e informar o título do trabalho e do orientador. O mesmo ocorre com artigos científicos, monografias, teses e dissertações. Também é possível descrever conquistas, prêmios e projetos de pesquisa.

#4 Insira sua trajetória profissional e habilidades

De forma similar ao currículo tradicional, discorra sobre suas experiências profissionais, especialmente aquelas que estejam de alguma forma relacionadas com pesquisa acadêmica. A plataforma também pede que os usuários indiquem suas principais áreas de atuação, relacionando-as também às informações inseridas, além de outros idiomas e o nível de domínio em cada área (leitura, fala, escrita e compreensão).

#5 Revise e mantenha o cadastro atualizado

Finalizadas as quatro etapas, a plataforma apresenta um resumo com dados cadastrados. Leia com atenção e certifique que todas as informações estejam corretas. Se houver necessidade, é possível editar. Quando tudo estive correto, finalize clicando em enviar ao CNPq. É importante sempre manter o currículo lattes atualizado, uma vez que é comum que as atualizações demorem um pouco a serem publicadas porque são revisadas por uma equipe do CNPQ que faz a checagem. Algumas informações também só podem ser inseridas durante atualizações, ou seja, após o primeiro cadastro.