O Arraial do Pavulagem, uma das maiores manifestações culturais da capital paraense, que ocorre tradicionalmente todos os domingos de junho, no bairro da Campina, também promove o aquecimento da economia local. Com o aumento na movimentação nos trechos por onde os arrastões passam, os trabalhadores informais cadastrados da Secretaria Municipal de Economia (Secon) têm a oportunidade de comercializar os produtos e tirar uma renda extra com a festa. A presidenta da Associação das Tacacazeiras e Comidas Típicas de Belém (Astacom), Ivonete Pantoja, presente no arrastão neste domingo, 26, conta que a categoria aproveita para vender e apresentar as iguarias da terra, como o tacacá, considerado patrimônio histórico e cultural de Belém, que tem tudo a ver com a manifestação cultural do Arraial do Pavulagem. Cadastramento prévio Além dos permissionários da Secon, que já atuam na Praça da República e que estão garantindo as vendas com o movimento, a secretaria realizou um cadastramento prévio das associações e entidades que já são registradas no órgão e que atuam de forma legal em diversos pontos da capital, para reforçar na comercialização de comidas típicas, café da manhã, lanches e refeições, dentro da praça dos Estivadores, onde também é realizada a apresentação do do Arraial do Pavulagem. “Por isso, a importância do trabalhador informal está cadastrado na Secretaria Municipal de Economia, pois além de atuar de forma segura, tem a oportunidade de garantir uma renda extra, atuando em grandes eventos como esse”, destacou o titular da Secon, Apolônio Brasileiro. Apoio à comercialização no percurso do Pavulagem Neide Sobrinho está na terceira geração de vendedoras de comidas típicas da sua família, que atua nas calçadas na Av. Nazaré. Ela tem a permissão da Secon para comercializar no local e revela que ainda está se recuperando financeiramente em decorrência da pandemia da covid-19. “Quero agradecer a Prefeitura de Belém pelo apoio nas vendas dentro do Arraial do Pavulagem, pois essa é a maneira de me recuperar e pagar as contas”, afirma a vendedora. Padronização – De acordo com o diretor de Comércio e Publicidade em vias públicas da Secon, Marcelo Martins, 11 barracas totalmente padronizadas estão sendo disponibilizadas para as vendedoras de comidas típicas, além da autorização para os demais equipamentos de vendas de pipocas e churros. “Estou achando bem organizado. Ficou cômodo para mim, que vou tomar um café da manhã reforçado antes de começar o arrastão, e bom para as vendedoras que podem lucrar com o evento”, disse Pedro Villanueva, durante os preparativos para participar do Arraial do Pavulagem. Para os serviços de fiscalização, orientação e ordenamento, a Secon conta ainda, com uma equipe de 25 fiscais, atuando na praça dos Estivadores e ao longo de toda a avenida Presidente Vargas, todos os domingos deste mês de junho.

Gerente da ESF Pirajá, Renê Campos, conta que a população atendeu ao chamado e está comparecendo a unidade aos sábados.

Quatro unidades Estratégia Saúde de Família (ESF) de Belém passaram a funcionar com o horário estendido a partir deste fim de semana. Agora as ESFs Tapanã III, da Condor, do Canal do Pirajá e da Água Cristal passam a funcionar até aos sábados, sempre das 7h às 12h.

Estas unidades funcionam com horário estendido dentro do esquema do programa “Saúde na Hora”, que tem o objetivo de ofertar à população serviços como consultas médicas, vacinação, preventivo e outros que fazem parte da rotina da unidade de saúde.

“A ideia é atender a população que não tem condições de comparecer e ter acesso aos serviços de saúde durante a semana. A ideia do programa é atender a população trabalhadora”, explica Camilo Pereira, coordenador de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Belém.

Atendendo a demanda 

Uma das unidades que já está funcionando como Unidade Saúde na Hora é a ESF Canal do Pirajá. A gerente da unidade Renê Campos conta que a população está atendendo ao chamado e indo se consultar aos sábados.

“Algumas consultas já deixamos previamente agendadas para que ocorressem neste sábado, mas recebemos muita demanda espontânea também”, ressalta.

A professora Rosana Sousa aproveitou o sábado para se consultar na ESF Tapanã III. “Trabalho a semana toda. No horário de funcionamento normal da unidade sempre estava trabalhando e não conseguia me consultar. Achei ótimo quando soube que o posto começaria abrir aos sábados”, comemorou.

Saúde na Hora – Desenvolvido pelo Ministério da Saúde, em parceria com os municípios, o programa busca ampliar o acesso aos serviços de Atenção Primária à Saúde por meio do funcionamento das Unidades Básicas de Saúde (UBS) ou Unidades de Saúde da Família (USF) em horário estendido.

Além de ofertar ações de saúde em horários mais flexíveis para a população, o programa prevê ampliar a cobertura da Estratégia Saúde da Família, da Atenção Primária à Saúde e do cuidado em Saúde Bucal, além de fortalecer a gestão municipal na organização da Atenção Primária, diminuir filas em unidades de pronto atendimento e emergências hospitalares, dentre outras ações.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui