Museu Goeldi precisa de apoio para financiar reformas de espaços

Com quase 125 anos de existência, o Parque Zoobotânico do Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) recebe diversos representantes da fauna amazônica, a exemplo das aves, vítimas de desmatamento, maus tratos, comércio e cativeiro ilegal. Em meio a duas mil plantas, os animais ali abrigados encontram cuidados médicos, tratamento adequado, muito carinho e ajudam a sensibilizar os visitantes para a importância da Amazônia.

As aves colorem o Parque do Museu Goeldi e podem ser encontradas ao ar livre ou em recintos, todavia os espaços precisam ser modernizados. As ações para a ampliação da infraestrutura dos abrigos já iniciaram, mas faltam recursos para todos os 5 ambientes existentes, bem como para adquirir novos equipamentos de informação direcionados ao público visitante.

Em meio às comemorações do aniversário da capital paraense, foi lançada uma campanha de financiamento coletivo, na plataforma Benfeitoria, com o objetivo de ajudar a conclusão desse processo.

Entenda o projeto

Localizado no centro da cidade de Belém, o Parque Zoobotânico do MPEG se estende por 5,4 hectares e se constitui em um refúgio para animais diversos, como exemplares de 23 diferentes espécies de aves, e um local privilegiado de educação. É um dos pontos turísticos e de lazer ambiental mais frequentados da cidade. Fundado em 1895, é o mais antigo zoobotânico brasileiro.

Referência de pesquisa em ciências naturais e humanas relacionadas à Amazônia, o Museu Goeldi se propõe a melhorar a estrutura que acolhe os animais e também busca ampliar as estratégias para compartilhar conhecimentos com cerca de 300 mil visitantes anuais para a importância da conservação da natureza.

Atualmente, alguns dos recintos para avifauna já estão em reforma para aumentar altura e largura. No entanto, é necessário incluir, nesse processo de renovação, a ampliação de todos os recintos, permitindo a instalação de suportes que vão melhorar o bem-estar dos animais, afetando positivamente o manejo reprodutivo e sanitário.

O Matchfunding

Nesta campanha de financiamento coletivo, o Museu Goeldi conta com um apoio especial do BNDES. A cada um real investido neste projeto, o Programa Matchfunding BNDES+ investirá mais dois reais. A campanha é considerada “tudo ou nada”. Para tirar este projeto do papel, a meta precisa ser alcançada – conseguir R$ 86 mil reais.

Sobre o MPEG

Fundado em 1866 na cidade de Belém (PA), o Museu Paraense Emílio Goeldi (MPEG) é conhecido no mundo inteiro como a instituição científica pioneira na pesquisa sobre as espécies, as populações humanas e os ambientes da Amazônia. Cumpre papel fundamental na orientação de políticas públicas, fornecendo dados para conservação e manejo de recursos naturais, como também para o entendimento de processos socioeconômico-culturais.