Mosqueiro se prepara para o segundo final de semana do Festival Gastronomia das Ilhas

A ilha de Mosqueiro, distante 70 km de Belém, viverá o segundo final de semana, 21, sábado, e 22, domingo, da programação especial do Festival de Gastronomia, envolvendo dezessete restaurantes do circuito praiano popular da bucólica, como São Francisco, Paraíso, Chapéu Virado, Ariramba e Murubira.

A decisão de prolongar o festival foi da Prefeitura de Belém, por meio da Companhia de Desenvolvimento da Região Metropolitana de Belém (Codem), após balanço positivo da primeira semana, quando foi registrado bom público, e pedido dos empresários de restaurantes e bares que registraram aumento da receita dos estabelecimentos.

Entre as delícias oferecidas no festival estão o polpetone de peixe defumado, mujica de camarão com patinhas de caranguejo, filé de filhote encapado em molho de tucupi, camarões empanados com farinha de tapioca, geleia de pimenta, versão vegana com palmito e frutas, pirarucu desfiado com farofa e bananas fritas e moqueca de arraia.

As sobremesas são diversas. Os destaques são para os doces e cremes de cupuaçu, taperabá, pudins e até creme de uxi com cobertura de folhas de hortelã. Os combos custam R$ 59,90 e servem até duas pessoas. (veja cardápio na home page da Agência Belém).

Gratificante – Para os chefs o sucesso é gratificante, uma vez que muitos se esmeraram e capricharam na montagem dos pratos. “Primeiro, fiquei muito nervosa, mas consegui concluir a receita com a ajuda dos colegas aqui da cozinha e ainda busquei inspiração nas receitas da minha avó”, disse Edna Gomes, que assina o prato de filhote ao molho de tucupi acompanhado de farofa de jambu, com a colega Karoline Reis.

A chef Paula Fernandes destaca o pescado como receita básica e sucesso de paladar. Ela mesma faz o processo de defumação. “Inclusive, essa técnica da defumação é uma alternativa para baratear a comida sem perder o sabor e a nutrição”, ensina.

“A pessoa pode fazer até com as partes menos nobres do peixe que geralmente são descartadas, mas que a culinária contemporânea aproveita e cria pratos incríveis e saborosos”, completa a chef, que é graduada em Gastronomia, pela Universidade da Amazônia (Unama) e há mais de dez anos comanda o restaurante do estabelecimento da família na praia do Paraíso.

Novidade – A novidade do festival é a moqueca de arraia, uma espécie abundante nas águas de Mosqueiro. O chef André Monteiro e sua esposa Adriana, preparam o peixe ao molho de leite de coco, ervas aromáticas, temperos finos naturais cultivados pelas mãos da agricultura familiar da zona rural da bucólica. O prato é o queridinho do público e “bombou” nas redes sociais e na imprensa especializada em gastronomia.

“Estamos muito felizes com o resultado do primeiro final de semana e numa expectativa imensa para este sábado e domingo”, disse André. “Para atender tanta gente, precisamos triplicar o número de pessoas na cozinha e já estamos ampliando o espaço para receber nossa clientela”, completou.

Turismo – Além da culinária diferenciada, o festival também reaquece o setor do turismo. Os restaurantes do circuito estão situados na região de praias, locais muito populares como São Francisco, Ariramba, Chapéu Virado, Paraíso e Porto Arthur, destino de famílias e turistas.

Segundo o prefeito Edmilson Rodrigues, que esteve presente na abertura oficial da programação do festival na semana passada, a gastronomia também é uma forma de incentivar o turismo em Mosqueiro. “O Festival de Gastronomia também tem esse objetivo de fomentar a cadeia turística de Mosqueiro”, disse o gestor municipal.

Na avaliação da agente distrital de Mosqueiro, Vanessa Egla, o público gosta muito de saborear novos pratos, mas também gosta de música, cultura e estar ao ar livre em companhia de pessoas queridas e da família.

“O povo quer comida, mas também quer diversão, cultura e nosso festival representa tudo isso”, destacou. “Nós, da cultura e da música mosqueirense, estamos muito felizes em poder estar de volta”, disse a cantora Rose Moraes, uma das atrações de Mosqueiro que voltou ao mercado com o festival.

O Festival é promovido pela Prefeitura de Belém, por meio da Codem, Belémtur, Universidade da Amazônia (Unama), com apoio da Agência Distrital (Admos), Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan), de Urbanismo (Seurb) e de Meio Ambiente (Semma).

Serviço

Festival de Gastronomia das Ilhas – Mosqueiro
Dias 21 e 22/05, sábado e domingo.
Saídas de Belém – Terminal de São Brás
Preços de passagens
Ônibus urbano convencional – R$ 6,40
Alternativo – R$ 12,00.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui