Tutoriais gratuitos on-line demonstram como a Pixar Animation Studios utiliza Ciências, Tecnologia, Engenharia, Arte e Matemática para criar a magia do cinema

MOUNTAIN VIEW, Califórnia ─ Hoje, o Pixar in a Box – um novo recurso on-line que explora os conceitos acadêmicos por trás do processo criativo da Pixar – está disponível em português no site pt.KhanAcademy.org. Por meio de videoaulas, exercícios interativos e atividades práticas, os alunos descobrirão como os conceitos acadêmicos que aprenderam na escola permitem que os cineastas da Pixar criem novos mundos, animem personagens únicos e contem histórias através da animação. Embora tenham sido desenvolvidos especialmente para alunos dos ensinos fundamental e médio, esses recursos estão disponíveis para alunos de todas as idades, em inglês e português, totalmente de graça, com o apoio da Disney e do parceiro local da Khan Academy, a Fundação Lemann.

“Nossa missão, na Khan Academy, é oferecer educação gratuita e de alta qualidade para todos e em qualquer lugar”, disse Sal Khan, fundador e CEO da organização sem fins lucrativos, Khan Academy. “Despertar o interesse em matemática e em outras áreas acadêmicas é parte essencial disso, e estamos muito felizes com a parceria com a Pixar para atingir esse objetivo. O Pixar in a Box oferece aos alunos uma nova maneira de se envolverem com os principais conceitos acadêmicos e de ver o quão criativa a matemática pode ser”.

“Aprender nos torna principiantes de novo”, declarou Ed Catmull, presidente da Pixar e Walt Disney Animation Studios. “Pela minha experiência, a criatividade envolve falhas e imperfeições, e isso só reforça a importância de nos mantermos em constante aprendizado para continuarmos flexíveis e com o cérebro hábil. Ao trabalhar com a Khan Academy no Pixar in a Box, esperamos incentivar o entusiasmo do aprendizado e o pensamento criativo nos alunos dos ensinos fundamental e médio, além de oferecer ferramentas para isso”.

“Há muito tempo ouvimos professores de todos os anos manifestarem seu interesse em criar currículos baseados na animação”, explicou Elyse Klaidman, diretora da Pixar University and Archives. “Queríamos oferecer a eles recursos on-line gratuitos, e o Pixar in a Box transforma esse sonho em realidade. Esperamos que o projeto não só dê aos alunos uma visão dos bastidores de como nossos filmes são feitos, mas também os empolgue com relação aos conceitos de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática.”

Desde seu lançamento, em 2015, nos EUA, o Pixar in a Box contabilizou mais de 7 milhões de minutos de aprendizado no mundo todo. Atualmente, a Khan Academy tem 865 mil alunos ativos/mês e mais de 3,2 milhões de usuários cadastrados em toda a América Latina. O lançamento do Pixar in a Box no Brasil faz parte de um esforço contínuo da Khan Academy para conquistar novos alunos na América Latina, oferecendo conteúdos em seu idioma local.

O Pixar in a Box nasceu do interesse comum entre a Pixar e a Khan Academy de estimular a criatividade inerente dos jovens e de inspirar o aprendizado em Matemática e Ciências. Seus criadores são Brit Cruise, produtor de conteúdo da Khan Academy, e Tony DeRose, cientista sênior e líder de grupo de pesquisa da Pixar. “Muitas crianças começam a perder o interesse em assuntos acadêmicos nos ensinos fundamental e médio em parte porque não entendem como esses conceitos se relacionam com aquilo que gostam”, explica DeRose. “O Pixar in a Box procura abordar essa desconexão mostrando como os cineastas da Pixar utilizam esses conceitos para obter benefícios criativos em seu trabalho diário”, completa Cruise.

A partir de hoje, os alunos podem acessar o Pixar in a Box e aprender:

  • Como a análise combinatória é usada para criar multidões, por exemplo, um aglomerado de robôs em “WALL • E”, da Disney • Pixar.
  • Como as parábolas são usadas para modelar ambientes, como os campos gramados de “Valente”, da Disney • Pixar.
  • Como as médias ponderadas são usadas para criar personagens, como o Buzz Lightyear e o Woody.
  • Como a interpolação linear e cúbica é usada para animar os personagens.
  • Como a trigonometria é usada para criar os mundos onde as histórias da Pixar acontecem.
  • Como equações simultâneas são usadas para pintar todas as imagens da Pixar.

“Essas lições são a primeira fase de um projeto de três anos”, diz Cruise. “O primeiro ano tem como foco a Matemática, e as futuras lições do Pixar in a Box vão explorar Ciências, Ciência da Computação, Artes e humanidades”.

O Pixar in a Box é resultado da colaboração entre a Khan Academy e a Pixar Animation Studios, e é totalmente patrocinado pela Disney. Todos os recursos do Pixar in a Box estão disponíveis gratuitamente em: pt.pixarinabox.org. A versão em português da Khan Academy foi possível graças ao generoso apoio de nosso parceiro, a Fundação Lemann.

Sobre a Khan Academy

A Khan Academy é uma organização sem fins lucrativos com a missão de mudar a educação para melhor, oferecendo educação gratuita e de alta qualidade, para todos e em qualquer lugar. Acreditamos que os alunos de todas as idades devem ter acesso livre e ilimitado ao melhor conteúdo educativo, e que também possam consumir e dominar este conteúdo seguindo o próprio ritmo. Além disso, acreditamos que existem oportunidades incríveis de utilizar o desenvolvimento inteligente de softwares, análises minuciosas de dados e interfaces de usuário intuitivas para disponibilizar e apresentar, de maneira mais efetiva, tais recursos educativos aos alunos e professores do mundo inteiro. Nossa biblioteca de conteúdos abrange tópicos de matemática da pré-escola ao início do ensino superior, ciências, como biologia, química e física, e também humanidades, com tutoriais sobre economia, finanças, música, filosofia e história da arte. Temos mais de 40 milhões de alunos cadastrados e, até o momento, oferecemos mais de 800 milhões de lições e 5 bilhões de exercícios. Para mais informações, visite: KhanAcademy.org.

Sobre a Pixar Animation Studios

A Pixar Animation Studios, uma subsidiária integral da The Walt Disney Company, é um estúdio cinematográfico premiado pelo Oscar, com recursos mundialmente famosos de técnica, criatividade e produção na arte da animação digital. O estúdio do norte da Califórnia criou alguns dos filmes de animação mais adorados e bem-sucedidos de todos os tempos, entre eles “Toy Story”, “Monstros, S.A.”, “Carros”, “Os Incríveis”, “Ratatouille”, “WALL • E”, “Up – Altas Aventuras”, “Toy Story 3”, “Valente” e “Divertida Mente”. Seus filmes já ganharam 31 prêmios do Oscar e faturaram mais de US$ 9,6 bilhões em bilheterias do mundo todo até o momento. “Procurando Dory”, a 17ª produção da Pixar, estreia em meados de junho de 2016 no mundo todo.

Sobre a Fundação Lemann

Fundada em 2002 pelo empresário Jorge Paulo Lemann, a Fundação Lemann é uma organização familiar sem fins lucrativos. Com nossas iniciativas e ações, buscamos contribuir para que o Brasil tenha soluções inovadoras de alta qualidade no cotidiano da educação, professores capazes de garantir o aprendizado de todos os seus alunos, líderes promovendo e acelerando transformações sociais de alto impacto e um padrão claro e de altas expectativas do que é esperado que todos os alunos aprendam.

Pixar in a Box

Visão geral – Temporada 1

https://pt.khanacademy.org/partner-content/pixar

 Introdução

Apresentadores: Fran Kalal, Alex Woo

Este vídeo de introdução dá aos visitantes uma visão geral do fluxo de produção cinematográfica da Pixar, que vai prepará-los para se aprofundarem nos tópicos de Ciências, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática que fazem parte do currículo do Pixar in a Box.

Animação

Apresentador: Rob Jensen

Animação é atuação. Animação é o processo de dar vida a um personagem, posicionando um modelo em diversas poses levemente diferentes umas das outras para, em seguida, reproduzi-las em sequência. Na animação tradicional (desenhada à mão), isso é feito desenhando-se quadro a quadro; já com os animadores digitais, são usados modelos digitais e os princípios da matemática de splines e curvas de animação; no entanto, os mesmos fundamentos de animação se aplicam às duas formas. Nesta lição, os visitantes aprenderão como a Pixar usa a matemática da interpolação como suporte ao processo de animação, ajudando os animadores a criar movimentos e contar histórias.

Modelagem de personagem

Apresentadores: Tony DeRose, Alonso Martinez

Depois que o design de um personagem foi determinado por uma série de desenhos (no caso dos personagens principais, por esculturas), os modelos digitais que realmente aparecem em um filme são criados em um estágio chamado de modelagem de personagem. Esse processo é semelhante à criação de uma escultura em argila, mas, em vez da argila, é feito com o posicionamento e a movimentação de pontos digitais no computador. Os modeladores digitais usam um princípio matemático chamado de “subdivisão” para suavizar os modelos, deixando-os com as formas orgânicas com as quais estamos acostumados. Nesta lição, os visitantes aprenderão como modelos de argila são transformados em personagens digitais por meio da subdivisão e das médias ponderadas.

Modelagem de ambiente

Apresentadores: Inigo Quilez, Tony DeRose

Tudo o que você vê em um filme animado no computador precisa ser criado digitalmente – personagens, cenários e itens de cena, bem como os mundos virtuais onde eles existem. A Pixar cria esses mundos em uma fase do fluxo de produção chamada de modelagem de ambiente. Para produzir uma quantidade convincente de várias formas naturais, os artistas técnicos da Pixar adotam a repetição de variação sutil que você vê na natureza e usam a programação para criá-la em escalas impressionantes. Nesta lição, os visitantes aprenderão como a Pixar utiliza arcos de parábolas para criar grama e outros elementos naturais em suas paisagens naturais virtuais.

Multidões

Apresentadores: Jacob Speirs, Lou Hamou-Lhadj, Fran Kalal

Modelar um personagem no computador, ponto a ponto, – como a Pixar faz com seus personagens principais – demanda muito tempo e energia. Para criar multidões de personagens no plano de fundo – sejam eles peixes, monstros ou robôs – os produtores desenham uma seleção de partes do corpo que podem ser recombinadas de várias maneiras diferentes e assim criar, com mais rapidez, diversos personagens nas quantidades necessárias. Nesta lição, os visitantes aprenderão como a Pixar preenche seus filmes com multidões de personagens, usando uma abordagem modular e o princípio matemático da análise combinatória.

Cenários e encenação

Apresentadores: Colin Levy, Christina Weiland, Fran Kalal

Da mesma maneira que os produtores de live-action arrumam os objetos em um cômodo ou ambiente antes de filmar uma cena, a Pixar também faz com cenários, itens de cena e personagens virtuais. Isso é feito pelo departamento de montagem de cenário, por meio de modelos construídos em fases anteriores do fluxo de produção, empregando transformações geométricas ─ ou seja, funções matemáticas básicas para manipular o tamanho, a orientação e a posição de um objeto no espaço. Em seguida, o departamento de câmera e encenação usa câmeras virtuais para dirigir e “filmar” cenas, tomando decisões sobre os ângulos e movimentos da câmera, assim como os cinegrafistas de live-action. Nesta lição, os visitantes aprenderão como a Pixar usa a geometria analítica e as transformações geométricas para desenhar cenários e filmar cenas, levando em consideração os principais elementos de local, composição, movimento de câmera e atuação de personagem.

Renderização

Apresentadores: Christophe Hery, Susan Fong

Renderização é o processo que compila toda a matemática, engenharia e talento artístico de cada departamento envolvido no filme em uma imagem final. A equipe de renderização conta com a contribuição de cada departamento – texturas, opções de câmera, animação, iluminação etc. – e calcula a cor de todos os pixels dos quadros de cada cena do filme. Nesta lição, os visitantes aprenderão como os artistas técnicos da Pixar usam o ray-tracing e outros algoritmos matemáticos para calcular a cor dos pixels e gerar os quadros finais que aparecem na tela.