Hospital Bettina Ferro marca consultas de retorno via WhatsApp

Quem mora no interior sabe a luta diária para conseguir atendimento em hospitais de média e alta complexidade, que, muitas vezes, só estão disponíveis na capital. Tendo em vista essa dificuldade, o Hospital Universitário Bettina Ferro de Souza (HUBFS), do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA), iniciou, neste mês de março, o serviço de marcação de consultas de retorno por meio do aplicativo WhatsApp Institucional, nas especialidades Oftalmologia e Otorrinolaringologia. O objetivo é facilitar a vida de centenas de pacientes que residem a uma distância superior a 50 km de Belém.

A ideia surgiu como uma maneira de diminuir o número de viagens que os moradores do interior enfrentavam cada vez que precisavam marcar uma consulta de retorno ao hospital universitário. “Muitos pacientes levam várias horas de viagem apenas para marcar uma consulta de retorno, e depois têm que vir novamente para a consulta, por isso pensamos nessa solução para esse problema”, afirma o chefe do Setor de Regulação e Avaliação em Saúde (SRAS) do Hospital Bettina Ferro, Edson Sabbá. As consultas de primeira vez ainda continuarão sendo agendadas na Secretaria de Saúde de cada município.

Ele ressalta que o serviço pelo aplicativo está disponível apenas para pacientes contemplados pelo serviço de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) oferecido pelo Estado, os quais residem a uma distância superior a 50 km da capital – regiões do Baixo Amazonas, do Marajó, do nordeste e sudoeste do Pará. Os moradores de Belém, Ananindeua, Barcarena, Marituba, Benevides, Santa Bárbara do Pará e Santa Izabel continuarão a realizar o agendamento de forma presencial.

Fluxo – Após a primeira vez, o paciente será informado na recepção do hospital sobre a disponibilidade da consulta, que poderá marcar na hora ou receberá a orientação para marcação posterior pelo Whatsapp. Neste último caso, para agendar o retorno, o paciente deve enviar a foto do formulário de marcação de retorno, que é entregue pelo médico a cada consulta, para o número (91) 98549-2079. O formulário deve estar legível e sem rasuras, para a conferência do número do prontuário. Em seguida, a equipe do hospital, em um prazo de 30 dias, enviará a data de agendamento para a próxima consulta. O serviço funciona das 8h às 17h.

No último dia 27 de fevereiro, o serviço entrou em fase de testes e, desde então, já foram agendados mais de 170 atendimentos. Para Elizabeth Maia, que, pela terceira vez, veio do município de Tailândia (260 km de Belém) para acompanhar a irmã em consultas de otorrinolaringologia, a chegada do serviço é vista de forma positiva. “Viemos aqui no dia 27 e ficamos sabendo dessa marcação. Uma amiga minha já agendou e só virá no dia da consulta, e no próximo retorno da minha irmã, eu já vou agendar por Whatsapp. Isso é excelente”, comenta.

Para a gerente de Atenção à Saúde do Hospital Bettina Ferro de Souza, Rosilene Reis, a oferta do serviço vem contribuir para melhorar o atendimento aos usuários. “O HUBFS é referência para todo o Estado, e diariamente recebemos pessoas dos interiores que chegam muito cedo e só voltam para casa ao final do dia, que é quando o TFD volta para a cidade de origem. Nos dias de marcação de consultas de retorno, distribuímos aproximadamente 700 senhas. Com este novo atendimento, esperamos reduzir o tempo de espera, otimizar o trabalho da recepção do hospital e beneficiar mutuamente a todos, quer sejam do interior, quer sejam da área metropolitana”, explica a gestora. O Bettina Ferro, que é vinculado à Rede da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), é uma das poucas instituições do país a disponibilizar o serviço.

Sobre a Ebserh – Vinculada ao Ministério da Educação, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) atua na gestão de hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, administra atualmente 40 hospitais e é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh. O Complexo Hospitalar da UFPA integra a Rede Ebserh desde outubro de 2015.