Governo do Pará se une aos esforços de proteção do ecossistema amazônico

O Dia da Amazônia, celebrado em 5 de Setembro, é mais um instrumento de conscientização sobre a importância desse ecossistema. E nesse esforço para preservar uma das regiões mais essenciais ao planeta, o Governo do Pará desenvolve diversas ações, mobilizando órgãos como a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Secretaria de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca (Sedap) e Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (Ideflor-Bio).

Titular da Semas, Mauro O’ de Almeida informa que “estamos tomando providências desde 2020 com a criação da força estadual de combate ao desmatamento, que começou a atuar no final de maio. Já estamos na 15ª edição da Operação Amazônia Viva, com resultados interessantes de redução de desmatamento e queimadas no Pará. Evidentemente que não fazemos nada sozinhos, e precisamos de colaboração e suporte dos outros entes federais, no caso do Governo Federal, já que temos mais de 60% das áreas do Estado do Pará sob domínio da União. Acreditamos que se fizéssemos mais operações em conjunto, muito melhor seria a eficácia alcançada no combate ao desmatamento”.

O secretário cita ainda o principal instrumento para preservar a floresta em pé, garantindo desenvolvimento e geração de renda. “Instituímos o ‘Amazônia Agora’, nosso plano de desenvolvimento sustentável baseado em redução da emissão de gases do efeito estufa, combate ao desmatamento e aumento da produtividade dos nossos produtos vocacionados, como pecuária, agricultura e projetos da infraestrutura, com uma pegada ambiental mais forte e adequada. Ele tem quatro eixos: a Força Estadual de Combate ao Desmatamento; os Territórios Sustentáveis; o Programa Regulariza Pará e o Fundo Amazônia Oriental. Temos um plano bem definido, metas de redução do desmatamento e gases do efeito estufa”, informa Mauro O’ de Almeida.

Sustentabilidade – A Sedap é um dos órgãos que atuam no Programa Territórios Sustentáveis, incentivando a pecuária sustentável entre produtores de São Félix do Xingu, na Região de Integração Araguaia, e demais municípios ao longo da Rodovia PA-279, além de trabalhar na adoção de práticas não agressivas ao meio ambiente para o cultivo de cacau, o que valoriza ainda mais o produto amazônico.

Paulo Ferreira, produtor rural em São Félix do Xingu, conta que, “com o Programa Territórios Sustentáveis, cada produtor tem um trabalho. Minha esposa e eu sempre gostamos de plantas, fazer mudas. Fomos nos voluntariando em todos os projetos, de acordo com a nossa aptidão, como os viveiros comunitários. Assim, trabalhamos para transformar a nossa pequena propriedade e ajudar também os vizinhos, além de repor a floresta que foi degradada”.