Governo do Pará oferta selo de prioridade para Centrais Elétricas de Barcarena

Documento declara interesse público do projeto, indicando que deve ser tratado com prioridade pelas autarquias estaduais

Sugar cane growing in a field in front of a sugar mill

Considerado estratégico para a região Norte do País, empreendimento viabilizará expansão de gás natural para o Estado e regiões próximas, suprindo indústrias e fornecendo uma alternativa ao diesel no transporte pesado.

O governador do Pará, Helder Barbalho, recebeu, nesta quarta-feira (27/11), representantes da Golar Power e Evolution Power Partners, empresas responsáveis pela construção do Complexo Termoelétrico (UTE) Novo Tempo Barcarena, localizado no município de Vila do Conde, em Barcarena (PA) para a assinatura do selo de prioridade concedido ao projeto.

O documento declara o interesse público do empreendimento, determinando que seja tratado com prioridade pelas autarquias estaduais. Durante a solenidade, o CEO Global da Golar Power, Eduardo Antonello, apresentou formalmente ao governador do Pará as potencialidades do empreendimento, que vai marcar a chegada do gás natural ao Estado e por toda a região Norte.

Além da Usina, o Projeto contempla uma Unidade Flutuante de Armazenamento e Regaseificação (FSRU) de gás natural liquefeito, com capacidade para entregar 21 milhões de m³/dia, píer de atracação e gasoduto.

“Deve ser o projeto de maior redução de impacto ambiental de todo Brasil, porque permite a transição de queima de combustíveis líquidos para a utilização de gás liquefeito, algo desejado aqui há anos. Vai fomentar a implementação de diversas indústrias interessadas em vir ao Pará, que é uma região muito rica em recursos minerais, mas que hoje carece de uma estrutura para aproveitar energia limpa e barata”, explicou Antonello.

A Hydro Alunorte poderá ser uma das primeiras indústrias a se beneficiar da oferta de gás natural liquefeito, assim como outras indústrias no entorno da termoelétrica. Esta foi a primeira reunião entre governo e representantes do empreendimento após o leilão de energia A-6, realizado em outubro, no qual a Golar Power saiu vencedora com 605 MW contratados, em sociedade com a Evolution Power Partners.

Benefícios

O investimento nas obras está avaliado em quase R$ 4 bilhões, com previsão para gerar 7.500 empregos diretos e indiretos. Além dos benefícios econômicos, Antonello enfatizou a atenção à questão ambiental existente no projeto.

“Nós estamos muito empolgados com a receptividade da equipe de governo. É uma colaboração de benefício mútuo. O GNL viabiliza, por exemplo, a transição de todos os veículos pesados, que hoje consomem diesel e poluem centros urbanos, para a utilização de gás combustível.

Representa um impacto positivo para o consumidor, mas também é bom para a saúde pública”, destacou o CEO. O secretário de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia, Iran Lima, afirmou que o empreendimento é um dos mais importantes na história do Pará.

“Representa um novo momento para o Estado na geração de energia, que é um dos principais entraves para a verticalização de diversas produções na região. O GNL vai trazer o barateamento da geração de energia, assim como deve proporcionar o uso doméstico para a população geral”, explicou.

A previsão é que a construção do terminal de distribuição de gás comece em março de 2020 e que esteja operacionalizada a partir de 2022, abastecendo a região Norte. O projeto da Usina Termoelétrica (UTE) Novo Tempo, localizado no município de Vila do Conde, em Barcarena (PA), é uma das térmicas a gás natural vencedoras do Leilão de Energia Nova A-6, realizado no último dia 18 de outubro.

A empresa vencedora, Centrais Elétricas de Barcarena (Celba), que tem como sócias a Golar Power e a Evolution Power Partners (EPP), implantará uma unidade de geração de energia elétrica a gás natural com potência total instalada de 605 MW e vai prover energia a partir de janeiro de 2025, em um contrato com duração de 25 anos.

O investimento total é estimado em R$ 2 bilhões. O empreendimento já conta com a Licença Ambiental Prévia (LAP) e agora segue o protocolo para a obtenção da autorização de construção da ANP, após a obtenção da Licença Ambiental de Instalação (LAI).

O projeto da Golar Power é expandir sua atuação visando à interiorização do gás natural no Norte do País, por meio da “cabotagem” e distribuição pelos modais rodoviários e ferroviários, além de fornecer o gás natural para indústrias locais e para a futura rede distribuidora na região.

“Consideramos que esse é mais um passo para aumentar a inserção do gás natural na matriz energética brasileira, além de aumentar a confiabilidade e segurança energética do país”, avalia Silva.