Governo do Pará lança linha de crédito para produtores rurais que adotam práticas sustentáveis

O Governo do Pará deu mais um importante passo para o fortalecimento do Programa Estadual Territórios Sustentáveis. No final da noite desta quarta-feira (08), o governador Helder Barbalho apresentou o BanPará Bio, uma linha de financiamento no Banco do Estado do Pará (Banpará) para apoiar produtores rurais inscritos no programa.  

A apresentação da linha de financiamento ocorreu durante recepção diplomática ao vice-presidente da República, Hamilton Mourão, e uma comitiva internacional formada por 10 embaixadores. O evento foi realizado no Boulevard das Feiras, na Estação das Docas, em Belém.

Helder Barbalho informou que o BanPará Bio é mais uma ação do Governo do Pará para fomentar o desenvolvimento sustentável no Estado. “O BanPará Bio é um fundo garantidor de investimentos em bioeconomia, que tem como objetivo apoiar a produção sustentável e as cadeias produtivas para a conservação e reestruturação da Amazônia”, ressaltou o chefe do Executivo paraense.

Sobre a presença da missão diplomática, o governador destacou a importância do fortalecimento institucional para o desenvolvimento de políticas públicas sustentáveis na Amazônia. “Desejo as boas-vindas para todos que, neste momento, prestigiam o Estado do Pará e a Amazônia Oriental. Ao vice-presidente Mourão nosso agradecimento pela liderança no Fórum da Amazônia, que tem esse papel estratégico de juntar diversos atores que compõem a nossa região, a ciência, o conhecimento e, acima de tudo, todos que estão unidos pela construção de um modelo de desenvolvimento sustentável para nossa região”, enfatizou o governador.

Durante o evento, Helder Barbalho detalhou as ações do Estado para zerar as emissões de carbono, e reafirmou que, além das ações repressivas, o Pará está avançando com políticas públicas transformadoras, por meio de programas ambientais que conciliam boas práticas, regularização ambiental e fundiária, e ainda financiamentos para práticas sustentáveis e integração institucional entre os órgãos. 

“Temos buscado de maneira transversal construir soluções que têm por pilar a preservação da floresta, mas de maneira muito madura e consistente. Aprendemos que para preservar a floresta é determinante que possamos conciliar com a vida dos amazônidas e daqueles que aqui moram, desejam e querem construir esse modelo sustentável”, afirmou o governador Helder Barbalho.

Aprovação – Após acompanhar a palestra de 25 minutos realizada pelo governador Helder Barbalho, o vice-presidente da República presidente do Conselho Nacional da Amazônia Legal (CNAL), Hamilton Mourão, externou seu reconhecimento ao trabalho desenvolvido pelo Governo do Pará. “Viemos trabalhando juntos e, quando vemos o plano de esforço do governador Helder, que vem sendo implementado desde o primeiro momento que assumiu o governo deste Estado, nós ficamos extremamente satisfeitos, porque estamos avançando na mesma direção, trabalhando com a mesma sinergia e com o mesmo esforço”, disse o vice-presidente.

Boa impressão – O embaixador do Japão, Arika Yamada, disse acreditar que a experiência dos diplomatas ao lado do Poder Público federal e estadual é inovadora e uma oportunidade para conhecer a realidade e os desafios vivenciados diariamente, além de observar possíveis parcerias futuras.

“Em nome de nossos colegas da missão diplomática quero demonstrar nosso profundo respeito aos governos do Brasil e do Estado. Pará e Japão têm uma longa história de amizade e cooperação. O Estado tem pontos interessantes e atrativos. Estamos aprendendo muito nesta viagem”, garantiu Arika Yamada, ao se pronunciar em nome dos demais embaixadores.

Missão diplomática – De acordo com informações da Vice-Presidência da República, a missão diplomática no Pará visa apresentar atividades de alguns ministérios que compõem o Conselho Nacional da Amazônia Legal, proporcionando aos embaixadores a oportunidade de conhecer a realidade amazônica e as principais ações do Governo Federal para proteger, preservar e desenvolver a região.

Os integrantes da comitiva estão conhecendo parcerias público-privadas para a conservação florestal, pesquisas no campo da saúde e da biologia, projetos de bioeconomia e de exploração sustentável das riquezas naturais da Amazônia, que geram emprego e renda na região.

Ainda segundo o Governo Federal, estão confirmadas a participação dos seguintes chefes de missões diplomáticas: Japão, Espanha, União Europeia, Angola, Paraguai, França, Índia, Uruguai, Reino Unido, Suíça, Organização do Tratado de Cooperação Amazônica (OTCA), da senadora Kátia Abreu e do senador Nelson Trad, dentre outros.