Eventos do 224º Círio

A Diretoria da Festa entregou o Roteiro de Eventos do Círio 2016 a coordenadores de órgãos de segurança e saúde, em reunião ocorrida no auditório Dom Vicente Joaquim Zico, no Centro Social de Nazaré, e contou com a participação do coordenador da Diretoria da Festa, Roberto Souza; do diretor de Procissões, Antônio Souza, e dirigentes do IV Distrito Naval, Cruz Vermelha Brasileira do Pará, Guarda Municipal de Belém, Polícia Militar, Comando Militar do Norte do Exército Brasileiro, Prodepa e outros. 

A reunião serviu para o fechamento das ações que cada um dos 40 órgãos de segurança e saúde desenvolverá nos eventos do Círio, mobilizando 20 mil pessoas. ‘Queremos que o romeiro vá de coração aberto participar da programação, e o resto deixe com a gente, porque vamos estar atuando na segurança de todos’, afirmou Antônio Souza. Foram apresentadas as camisas da Ciclo Romaria e da Romaria dos Corredores. Já à venda (R$ 10,00 e 1 quilo de alimentos) no Centro Social de Nazaré.

Segurança

Este ano, por iniciativa da Segup, as plataformas de observação reunindo Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Samu, serão ampliadas de 10 para 18 unidades no corredor da Trasladação e do Círio. Um centro de convivência para filhos de trabalhadores que atuam no Círio será organizado pelo Governo do Estado no Instituto de Educação Estadual do Pará (IEEP), na Avenida Presidente Vargas com a Serzedelo Corrêa. 

A Polícia Militar terá 3.650 homens nos 12 eventos, contando, inclusive, com policiais vindos de Paragominas, Castanhal, Capanema, Soure e Abaetetuba, para atuar do dia 4 até o dia 10, na Operação “Bem-vindo ao Círio”. Os eventos contarão ainda com o apoio de cerca 20.000 voluntários, sob a orientação da Diretoria da Festa.

Segundo Antônio Sousa, diretor de procissões: “Os romeiros são movidos pela fé, mas nós organizamos as procissões com segurança, para que eles possam manifestá-la”

Aplicativo do “Kd a Berlinda 2016”   

Em seu quinto ano de funcionamento, o aplicativo “Kd a Berlinda?”, desenvolvido pela Empresa de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Pará (Prodepa), volta a monitorar as 12 romarias da Festividade de Nossa Senhora de Nazaré em 2016. A nova versão inclui várias funcionalidades de performance, que mesmo sem visualização geram maior satisfação para o usuário.kd-a-berlinda-2016

Para Lourenço Monteiro, diretor de Desenvolvimento de Sistemas da Prodepa, as inovações são necessárias porque as redes são ampliadas e os aparelhos celulares estão cada vez mais desenvolvidos. “Temos otimizado cada vez mais o aplicativo para usar em cima das novas tecnologias, não só de conexão de dados de redes, mas também dos aparelhos novos, para que o aplicativo fique mais preciso e rápido”, informa.

Todo o layout da aplicação foi reformulado, em termos de interface com o usuário. “Esta mudança foi feita para facilitar o uso, para que mais pessoas utilizem, tornando ainda mais viável essa utilização”, completa Lourenço Monteiro.

Como serviço de utilidade pública, a ferramenta tem sistema georreferenciado, em que as coordenadas da berlinda são capturadas por GPS em tempo real e transmitidas pela rede  para um servidor. Em um site web (www.kdaberlinda.pa.gov.br), acessível por qualquer dispositivo móvel ou computador, é possível acompanhar o trajeto percorrido. Utiliza aplicações ajustáveis, que se adaptam ao tamanho da tela. A página é acessada com todas as suas funcionalidades, independentemente do dispositivo utilizado – computador, tablet ou celular.

Disponível em três plataformas: Android, IOS (Iphone e Ipad) e Windows Phone, o “Kd a Berlinda?” é considerado um aplicativo nativo. É possível fazer o download direto da loja dos aplicativos para o celular, sem nenhum custo, e com um ícone já abrir direto no mapa para visualizar onde está a berlinda. Já são mais de 26 mil downloads nas três plataformas.

O serviço estará disponível a partir do Traslado para Ananindeua, a primeira romaria, na sexta-feira (7 de outubro), prosseguindo nas demais procissões do sábado (8): a ida para o distrito de Icoaraci, a Romaria Fluvial, a Motorromaria e a Trasladação; e no domingo (09), no Círio. Nas outras seis romarias realizadas após o Círio também haverá o monitoramento: a Ciclo Romaria, a Romaria da Juventude, a Romaria das Crianças, a Romaria dos Corredores, Procissão da Festa e o Recírio.

capturar

As 12 procissões do Círio 2016

As 12 procissões, iniciam no dia 7 de outubro, com o Traslado da imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, em 52 quilômetros e 12 horas de duração. Sairá às 8 horas da Basílica Santuário indo à Marituba e Ananindeua. A Romaria Rodoviária, com 24 quilômetros, sairá ás 5h30 do dia 8, da Igreja Matriz de Ananindeua, seguindo para o Trapiche de Icoaraci, em cerca de três horas de duração.

A Romaria Fluvial, com 10 milhas náuticas (18,5 quilômetros), sairá às 9 horas, no dia 8, de Icoaraci, para a Escadinha do Cais do Porto, no centro de Belém, com duas horas de duração. Logo após, às 11h30, a Moto Romaria, sairá da Praça Pedro Teixeira, em percurso de 2,5 quilômetros,  até o Colégio Gentil Bittencourt, com uma hora de duração. 

Técnicos da Semob, Detran e PM bloquearão o corredor do Círio às 12 horas do sábado, dia 8, até o término da procissão, no dia 9. Com 3,7 quilômetros, a Trasladação no sábado, dia 8, sairá do Colégio Gentil às 17 horas rumo à Catedral Metropolitana, e terá cinco horas de duração.

O Círio no dia 9, com 3,6 quilômetros, sairá às 6h30 da Catedral Metropolitana em direção a Praça Santuário. Tem previsão de durar 6 horas. Serão também realizadas durante a quinzena nazarena, a Ciclo Romaria, Romaria da Juventude (saída este ano da Paróquia Mãe da Divina Providência), Romaria das Crianças, Romaria dos Corredores, Procissão da Festa (saída da Comunidade Santo Antônio Maria Zaccaria) e encerrando as festividades, o Recírio, a menor das procissões (saindo do altar, percorre o entorno da Praça Santuário, seguindo o fluxo da Av. Nazaré até ao Colégio Gentil Bitencourt).  

 

Fotos: Anderson Silva/Ag.Pará, Fabrício Coleny- Ascom Basílica Santuário de Nazaré

(*) Publicado originalmente na edição 175 da Revista Pará+. 8