Pará+

Escolas municipais de Belém mantêm os cuidados em relação à covid-19

A higiene das mãos com o uso de água ou álcool em gel e as orientações sobre os cuidados, que ainda se deve ter com a covid- 19, continuam sendo rotina entre alunos, pais e servidores das escolas municipais de Belém.

Flexibilização – No mês de maio, a Prefeitura de Belém flexibilizou o uso de máscaras em locais fechados, devido o baixo índice de contaminação na capital.

O dia a dia na Escola Municipal de Educação Fundamental Ruy da Silveira Brito, no bairro do Marco, segue com todos cuidados em relação à covid-19. A unidade conta com 540 alunos do ensino fundamental, matriculados nos turnos da tarde e da manhã, os quais recebem orientações diárias sobre a pandemia.

Os estudantes contam com totens de álcool em gel à disposição e torneiras para a higienização das mãos, e continuam usando máscaras de forma opcional.

Consciência – O professor de matemática, Roberto Nunes, de 48 anos, segue uma rotina com os jovens, sempre borrifando as mãos dos alunos antes da entrada em sala de aula.

“Ainda mantemos o cuidado, além da covid, temos as nossas viroses corriqueiras. É uma consciência que coloco a eles, que ainda temos que ter cuidado com o próximo. Orientamos sobre a troca de garrafas de água, a lavagem das mãos antes de entrar em sala”, explicou.

Rotina de cuidados – Aluna do 9º ano da escola Ruy da Silveira, Ana Cristina, de 14 anos, não utiliza mais o acessório de proteção, mas segue uma rotina de cuidados intensos. “Eu não uso mais a máscara, mas continuo tomando outros cuidados. Recebemos um kit da escola com álcool em gel, com uma garrafinha de água, e procuro sempre usar”, comentou.

Mais seguro com a máscara – Por ser opcional a utilização de máscaras, alguns estudantes continuam aderindo à proteção. É o caso do Fernando Nonato, de 13 anos. O jovem ressaltou que se sente mais seguro com o acessório. “Eu ainda uso minha máscara por uma questão minha. Me sinto mais seguro e quero manter as pessoas próximas também seguras”.

Guardiões da Saúde na Educação – Como forma de proteção aos alunos das escolas municipais, a Prefeitura de Belém, com o apoio da Universidade Federal do Pará (UFPA), desenvolveu o projeto Guardiões da Saúde na Educação, para monitorar por aplicativo casos suspeitos de covid-19 nas escolas municipais no retorno das aulas presenciais. É o primeiro e único aplicativo do Brasil que atua na prevenção de casos de covid nas escolas públicas.

Procedimentos mantidos – Segundo a diretora da unidade, Roseane Vogado, após a flexibilização do uso de máscaras, a escola continua com orientações, inclusive com os pais. “Mantivemos os procedimentos necessários para a segurança, com relação à pandemia. Nós conversamos com pais e orientamos os alunos. Falamos sobre os sintomas gripais. Caso o estudante esteja com algum sintoma, orientamos a ficar em casa”, explicou.

Infantil –  Todas as escolas municipais continuam com uma rotina de cuidados, independente da faixa etária das crianças que frequentam as unidades.

Na Unidade de Educação Infantil Wilson Baia, que atende 81 crianças de 0 a 3 anos em tempo integral, os professores seguem uma rotina no ensino da higienização das mãos.

O espaço conta com um lavabo especial, doado pelo Fundo das nações Unidas (Unicef), apropriado para crianças menores. De acordo com a coordenadora da unidade, Maria Paula da Silva, os alunos e servidores seguem com os costumes de higienização e orientação.

“Ainda temos muitos cuidados e isso virou rotina das crianças, que buscam a higienização das mãos naturalmente. Nós, servidores, também estamos tomando os nossos cuidados”, comentou.

Sair da versão mobile