Em tempos de pandemia, terapia on-line se torna uma alternativa

Em meio a tantas informações, sejam elas fake news ou não, o clima de tensão diante da pandemia do covid-19, popularmente conhecido como coronavírus, acaba afetando o psicológico de qualquer um, alertam os psicólogos.

Diante da situação, o Conselho Federal de Psicologia liberou para que as consultas sejam feitas online, para não propagar o vírus e, em contrapartida, não deixar os pacientes no momento em que mais precisam desassistidos.

Para todo atendimento on-line era necessário que o profissional realizasse o cadastro no e-Psi para, só então, começar o trabalho remoto. Em nota, o Conselho Federal de Psicologia disse que suspendeu essa determinação nos meses de março e abril a fim de facilitar os atendimentos e evitar a exposição de profissionais e pacientes ao covid-19.

“Em momentos de insegurança e incerteza, o simples fato de ficar isolado em casa pode se tornar um gatilho para uma crise de ansiedade. Exatamente por isso, passa a ser fundamental o papel do psicólogo”, destaca Tatiana Pimenta, CEO e fundadora da Vittude, referência em Psicologia Online no Brasil.

Outra situação que tem causado bastante preocupação é o volume de buscas por medicamentos psiquiátricos. Durante esse período de pandemia, os conteúdos com maior volume de acesso na Internet têm sido artigos sobre ansiedade, crise de ansiedade e informações sobre remédios como fluoxetina, rivotril, clonazepam, entre outros, compartilhou a CEO.

Segundo o psicólogo Célio Mota, o acompanhamento psicológico proporciona autoconhecimento de forma limpa e sincera consigo mesmo, o que pode trazer resultados incomparáveis para a saúde da psique e do corpo. Já a automedicação é um grande risco, pois erros simples podem ocorrer sem embasamento científico e causar danos irreversíveis.

Fonte: Agência Educa Mais Brasil