Egressos produzem 10 mil máscaras por dia na Fábrica Esperança

Desde a última quarta-feira (25), a Fábrica Esperança tem se dedicado integralmente à confecção de máscaras cirúrgicas descartáveis. Toda a produção é destinada aos agentes e trabalhadores da área da Saúde e da Segurança Pública do Estado, até então. Essa é mais uma ação de enfrentamento a Covid-19 (doença causada pelo novo coronavírus) promovida pelo Governo do Pará. Veja mais fotos da ação.

O trabalho é feito por cerca de 30 egressos do sistema prisional encaminhados por meio de uma chamada pública que celebra a parceria entre a fábrica e a Secretaria de Estado de Assuntos Penitenciários (Seap).

Foto: Marcelo Seabra / Ag. ParáDe acordo com o diretor da Fábrica Esperança, Artur Jansen, todo o parque industrial precisou ter sua engenharia refeita para ampliar a capacidade produtiva. Atualmente, de lá podem sair até 10 mil máscaras por dia e as atividades estão 100% voltadas para essa produção.

“É de enorme importância oferecer oportunidade de emprego para quem a sociedade discrimina. E combinado a isso tem a questão humanitária, de estarem envolvidos e unidos no combate a Covid- 19”, destaca Jansen.

Durante o fim de semana, os egressos se dedicaram a confeccionar vestuário, lençóis e fronhas que foram encaminhados ao Mangueirão, local onde estão sendo recepcionadas as pessoas em situação de rua durante o período de isolamento social.

Foto: Marcelo Seabra / Ag. ParáAtuação – O trabalho feito envolve corte, limpeza e descontaminação das peças. As demandas começaram pelas polícias Militar e Civil, e o Centro de Perícias Científicas (CPC) Renato Chaves, além dos trabalhadores da Saúde estadual.

Quando de volta ao convívio social, os ex-internos encaminhados à fábrica recebem treinamento e qualificação, e só então são autorizados a atuar no parque industrial.