Dois terços das famílias com crianças perderam rendimentos na pandemia

A pandemia  provocou a perda de rendimentos em pelo menos dois terços de lares com crianças.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e o Banco Mundial recomendam uma rápida expansão dos sistemas de proteção social para famílias com membros menores de idade.

Famílias

Pelos dois anos da crise de saúde, as instituições lançaram esta quinta-feira o relatório “Impacto da Covid-19 no bem-estar das famílias com crianças”.

Durante a pandemia, o ensino escolar foi interrompido em média 25 semanas por causa de fechamentos totais ou parciais
UNICEF
Durante a pandemia, o ensino escolar foi interrompido em média 25 semanas por causa de fechamentos totais ou parciais

 

Com dados de 35 países, a publicação destaca que lares com três ou mais filhos tiveram maior probabilidade de perder renda. Mais de três quartos tiveram uma redução de rendimentos.

Em grupos familiares com um ou dois filhos a baixa foi de 68%.

A análise destaca que adultos ficaram sem alimentos por um dia ou mais em um quarto das famílias que perderam sua renda.

Pobreza

Em quase metade dos domicílios com crianças foi cortada uma refeição por falta de dinheiro.

Cerca de um quarto dos adultos em lares com ou sem filhos relataram ter ficado sem trabalho desde que a pandemia iniciou.

Em relação a crianças que perderam artigos mais básicos, 40% delas estão em famílias sem qualquer atividade educacional quando as escolas estavam fechadas.

Publicação destaca que lares com três ou mais filhos tiveram maior probabilidade de perder renda
UNICEF
Publicação destaca que lares com três ou mais filhos tiveram maior probabilidade de perder renda

 

Em nível individual, a participação pode ser ainda mais baixa, especialmente para as crianças de lares com três ou mais filhos.

Pré-pandemia

A ajuda oferecida pelos governos ajudou esses agregados familiares a minimizar a perda de rendimentos.

Antes da crise, cerca de 356 milhões de menores viviam em pobreza extrema em lares sobrevivendo com menos de US$ 1,90 diários.

Mais de 40% das crianças viviam em pobreza moderada e quase 1 bilhão em pobreza multidimensional nos países em desenvolvimento. Com a crise, o número aumentou 10%.

Transferências

O estudo recomenta a aposta em transferências em dinheiro e na universalização de benefícios para crianças para suprir dificuldades econômicas e a preparar choques futuros.

Pelo menos 200 países adotaram milhares de medidas de proteção social na pandemia.

Nesse contexto, o Banco Mundial desembolsou US$ 12,5 bilhões para implementar medidas que impactaram 1 bilhão de pessoas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui