DO LIXO AO LUXO – DECORAÇÃO SUSTENTÁVEL

imagem_release_673522

Com apresentação da artesã Carol Panini, a série vai mostrar como tornar um item que iria para o lixo em um acessório de decoração moderno.

O ZAP, o maior portal imobiliário brasileiro, lança sua nova série: Do Lixo ao Luxo – Decoração Sustentável. Com apresentação e dicas da artesã Carol Panini, os cinco episódios da série vão mostrar transformações de peças que iriam diretamente para o lixo em peças para decorar a casa. A série estreia nesta sexta-feira, dia 10, no canal do ZAP no YouTube.

“A Carol Panini é uma especialista na reciclagem de produtos e na transformação de objetos decorativos”, afirma Renata Kac, gerente de marketing do ZAP. Fundadora do Caçambaria, uma empresa especializada na reciclagem de acessórios e itens de decoração para casa, Carol Panini vai ensinar os internautas que acompanham o ZAP a tornar aquela peça velha em algo novo e moderno. “Nossos vídeos foram gravados com peças achadas dentro de caçambas no interior de São Paulo. É muito comum encontrar móveis ou objetos antigos descartados pelas ruas, mas ninguém imagina no que podem ser transformados. A ideia desta série é mostrar que, muitas vezes, as pessoas poderiam apenas reformar a peça. Com muita criatividade e pouco dinheiro é possível dar outra cara à decoração”, diz Renata.

Na série, é possível conferir como uma gaveta velha vai se transformar em uma mesa de canto; como um carretel de fio vai virar uma mesa de centro com suporte para armazenar livros; como três portas de armário se tornarão um biombo; como três cabos de vassoura e um vasinho serão transformados em uma luminária, além da mudança total no visual de uma cadeira velha.

“Minha paixão surgiu da minha própria experiência: sempre tive mania de recolher resíduos e objetos para transformá-los em itens sustentáveis de decoração para a casa”, afirma Carol Panini. Para conferir todas as dicas, basta acessar o canal do ZAP no YouTube toda sexta-feira, quando um vídeo novo será postado.

Caso precise de Imagens  

#td_uid_1_57597055d76cc .td-doubleSlider-2 .td-item1 { background: url(http://revistaamazonia.com.br/wp-content/uploads/imagem_release_673523-80×60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_57597055d76cc .td-doubleSlider-2 .td-item2 { background: url(http://revistaamazonia.com.br/wp-content/uploads/imagem_release_673520-80×60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_57597055d76cc .td-doubleSlider-2 .td-item3 { background: url(http://revistaamazonia.com.br/wp-content/uploads/imagem_release_673522-80×60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_57597055d76cc .td-doubleSlider-2 .td-item4 { background: url(http://revistaamazonia.com.br/wp-content/uploads/imagem_release_673521-80×60.jpg) 0 0 no-repeat; } #td_uid_1_57597055d76cc .td-doubleSlider-2 .td-item5 { background: url(http://revistaamazonia.com.br/wp-content/uploads/imagem_release_673554-80×60.jpg) 0 0 no-repeat; }

variedades – :: Revista Amazônia ::