Divulgada a lista de aprovados na primeira chamada pública de educadores do Alfabetiza Belém

O Movimento República de Emaús está convocando os 92 alfabetizadores, educadores da educação especial e inclusiva e coordenadores que irão trabalhar nas primeiras 80 turmas do Movimento Alfabetiza Belém. A lista com os nomes dos selecionados já pode ser conferida. Acesse aqui.

Os candidatos atenderam à primeira chamada pública do Movimento Alfabetiza Belém, lançada em 21 de abril pelo Movimento de Emaús a partir de convênio firmado com a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Educação (Semec).

A inscrição destes trabalhadores da educação ocorreu entre os dias 21 e 28 de abril e o resultado da seleção foi divulgado na noite desta segunda-feira, 2 de maio.

Formação Inicial – Os candidatos deverão se apresentar para o período de Formação Inicial e posterior assinatura de contrato com o Movimento República do Emaús. A Formação Inicial tem como objetivo dialogar sobre o legado de Paulo Freire e da educação popular como matriz de referência para as políticas educacionais em Belém.

Esta fase está está organizada em cinco encontros, que ocorrerão no período de 9 a 14 de maio, totalizando 40 horas, e o não comparecimento acarretará na desclassificação do candidato.

Aos selecionados será destinada uma remuneração no período de cinco meses, para custeio das despesas realizadas no desempenho na atividade, nos valores de R$ 650 para alfabetizadores e educadores da educação especial e R$ 800 para coordenadores.

Ação prioritária – O Movimento Alfabetiza Belém é uma ação prioritária da Prefeitura de Belém, que tem como objetivo reduzir o número de pessoas não alfabetizadas na capital. Segundo o Cadastro Único para Programas Sociais (Cadúnico), há mais de 11 mil pessoas na situação de não alfabetização na cidade.

Para enfrentar este cenário, o Movimento Alfabetiza Belém, que reúne a Prefeitura, por meio da Semec, Movimentos Sociais, as Universidades Federal do Pará (UFPA) e do Estado do Pará (Uepa), o Instituto Federal do Pará (IFPA), a Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra) e instituições das esferas municipal e estadual, ofertará as turmas de alfabetização em todos os distritos da cidade.

As turmas são destinadas a jovens a partir dos 15 anos de idade, adultos e idosos e começarão a funcionar ainda neste primeiro semestre de 2022.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui