Delegação paraense conquistou 100 medalhas nas Paralimpíadas

Desempenho foi recorde entre todas as outras participações das equipes do Estado na competiçãoO Pará conquistou 100 medalhas nos Jogos Escolares Paralímpicos deste ano, ficando em 3º lugar geral na competição. Foi o melhor resultado do Estado desde que os jogos foram criados, em 2009.

Ao todo, o Pará faturou 42 medalhas de ouro, 36 de prata e 22 de bronze. A competição encerrou na sexta-feira (22), em São Paulo. As paralimpíadas reuniram jovens atletas com múltiplas deficiências de todo o Brasil.

Os atletas paraenses retornaram para casa na noite deste sábado (23) e foram recebidos com festa no Aeroporto Internacional de Belém. Felicidade para os estudantes, orgulho para os familiares que sabem o quanto a educação e o esporte têm sido o diferencial na inserção social dos atletas.

“Ele disse desde o início que ia trazer medalhas. Agradeço a todas as professoras e à escola como o todo por terem acreditado no meu filho”, disse Walquíria de Moraes. A dona de casa é mãe de Felipe Nascimento, que ganhou três medalhas de bronze na natação.

Com deficiência desde que nasceu, Felipe estuda na Escola Estadual Regina Coeli e é assistido pela Unidade de Educação Especializada (UEES) José Alvarez de Azevedo. O estudante conta que sempre gostou de nadar e em sua primeira participação nos Jogos, confessa que não esperava alcançar esse resultado. “Foi uma grande surpresa, não esperava conquistar tantas medalhas”, comentou.

A Cíntia Larissa, de 13 anos, estuda na Escola Estadual Vera Simplício e também é assistida na UEES Alvarez de Azevedo.  A atleta foi um dos destaques dos jogos conquistando o ouro no atletismo. Cíntia tem deficiência visual, e apesar das dificuldades, treina 4 vezes na semana com a ajuda de um guia. “Não consigo descrever esse momento, tudo isso é muito especial pra mim, parece um sonho”, declarou.

Felicidade também para a Vitória Franco, de 13 anos. A atleta ganhou três medalhas de ouro em lançamento de pelotas, lançamento de peso e corrida de 60 m. “Treinei muito, acho que batalhei para esse resultado.

Agora é aperfeiçoar para conquistar novos títulos”, afirma. Emocionada, a mãe de Vitória, Rosimeri Franco, diz que a filha é muito aplicada, treina quase que diariamente e faz ginástica corretiva para ajudar a superar as seqüelas da paralisia cerebral. “Estou muito feliz pela superação que ela já passou. A Vitória é muito dedicada e ainda mais vitoriosa”, destaca.

O Pará conquistou medalhas em todas as modalidades esportivas. O coordenador do Núcleo de Esporte e Lazer da Seduc e chefe da delegação paraense paralímpica Marcley Lima, avalia o resultado da participação do Pará na competição.

“Recebemos apoio do governo do Estado e isso fez a diferença. Os meninos de fato fizeram o melhor, a atuação deles foi muito surpreendente, o que mostra que com trabalho sério e focado podemos chegar muito longe”, resumiu.