Contenção de encostas é tema de reunião entre Prefeitura de Belém e Serviço Geológico Nacional

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Comissão de Defesa Civil Municipal, segue avançando no trabalho para reestruturação e contenção de encostas nos distritos que formam a capital paraense.

Nesta terça-feira, 19, o secretário de Urbanismo, Deivison Alves, recebeu a presidente da Comissão de Defesa Civil, Christiane Ferreira, e o gerente de hidrologia e gestão territorial da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM – Serviço Geológico Nacional), Homero de Melo Júnior, para uma reunião de ajustes do projeto das obras estruturantes para a região das ilhas de Cotijuba, Mosqueiro e Outeiro.

Provocada pela Comissão de Defesa Civil de Belém, a CPRM realizou entre os meses de fevereiro e novembro de 2021 o levantamento de áreas com alto ou muito alto risco geológico em Belém, distritos e ilhas. Foram identificadas 32 áreas de risco alto e 93 de risco muito alto.

O levantamento gerou um mapa entregue pelo Serviço Geológico Nacional à Prefeitura de Belém e que está sendo usado como base para o planejamento das obras.

Foi a primeira vez que toda a extensão da capital paraense, com oito distritos e 39 ilhas, recebeu o serviço. O último mapeamento geológico foi realizado em 2016 e não contemplou toda a capital paraense.

Além de atualizar o mapa das áreas de risco, o trabalho em parceria com os geólogos vinculados ao Ministério de Minas e Energia tem caráter preventivo, uma vez que o levantamento servirá como base para as ações desenvolvidas em conjunto com outros órgãos governamentais, para redução dos impactos causados pela ação da natureza e do homem.

Os mapas do Serviço Geológico do Brasil são usados para identificar, não apenas as áreas de riscos, mas áreas em que há a habitação de pessoas. A partir daí, é possível planejar e captar recursos para obras de contenção e remobilização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui