Começa a contagem regressiva para o desfile oficial das escolas de samba de Belém

A Aldeia de Cultura Amazônica David Miguel, no bairro da Pedreira, será mais uma vez palco dos desfiles das escolas de samba da capital no Carnaval Oficial da Prefeitura de Belém. A avenida começa ser tomada pelo samba e pelo brilho das fantasias e alegorias na próxima sexta-feira, 14, com os desfiles das escolas de samba do 2º grupo, seguido do desfile das escolas do 1º grupo no sábado, 15, e do 3º grupo no domingo, 16.

O evento é uma realização da Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), em parceria com a Liga das Escolas de Samba. Às vésperas do tão esperado desfile, é grande a expectativa dos brincantes e de quem vai prestigiar as escolas no palco da folia. É o caso da jornalista Ellen Silva, que há mais de 20 anos participa do Carnaval de Belém e mais uma vez está na contagem regressiva para o grande momento.

“Aqui em casa todo mundo é apaixonado por Carnaval. A gente vive o Carnaval e a expectativa para o desfile é a melhor. Esse ano tivemos muitas melhorias, a revitalização da Aldeia Amazônica foi uma delas, então isso serve para potencializar o Carnaval, a cultura, gera emprego, gera renda. Estamos todos muitos ansiosos. Meu coração está na mão, estou muito animada”, contou Ellen.

Ellen é uma das milhares de pessoas que vão participar do Carnaval 2020, na condição e brincante ou público, que este ano homenageia Ruy Barata, poeta, político, advogado, professor da Universidade Federal do Pará (UFPA), jornalista e compositor brasileiro, nascido em Santarém em 1920. Como jornalista dirigiu o suplemento literário do jornal A Província do Pará. Foi ainda titular da cadeira de Literatura Brasileira da Faculdade de Filosofia, Letras e Artes. Com o filho Paulo André Barata, compôs um vasto número de canções que são referência em todo o Pará, como “Esse Rio é Minha Rua”, “Banho de Cheiro” e “Indauê Tupã”.

Aos 17 anos, Luiza Rodrigues é a porta-bandeira oficial da escola de samba Rancho Não Posso Me Amofiná, do Jurunas. Para ela, esse ano é de estreia e ansiedade. “Esse é meu primeiro ano como porta-bandeira oficial da escola, então estou muito ansiosa, nervosa e preparada. Sou porta-bandeira desde os 9 anos de idade, agora sou a primeira porta-bandeira oficial, então a expectativa é enorme. Eu tenho uma responsabilidade muito grande, eu carrego mais do que uma bandeira, carrego o coração e o amor de muita gente pela escola de samba. Eu garanto que quem for assistir os desfiles não vai se arrepender”, disse Luiza.

Trânsito – Foliões precisam prestar atenção: durante os dias dos desfiles, de 14 a 16 de fevereiro, serão interditadas a pista central e as pistas do entorno da Aldeia Amazônica, na avenida Pedro Miranda entre travessa Lomas Valentinas e avenida Dr. Freitas, a partir das 17h e até o término das atividades do Carnaval.

Serão três dias de festa e para curtir o espetáculo carnavalesco e ter acesso aos ingressos das arquibancadas, interessados devem se deslocar às escolas de samba do bairro ou a um dos doze Centros de Referência de Assistência Social (Cras) de Belém e levar 1 kg de alimento não perecível.
“Eu estou muito ansiosa, estarei de camarote lá na Aldeia Amazônica para ver minha filha, ver a escola que eu amo e as demais escolas. Minha família toda tem uma história no Carnaval, a minha família respira Carnaval. Meu coração está apertado, estou muita emoção, pois era o sonho do meu pai que há um ano nos deixou, mas acredito que de onde ele esteja ele está muito feliz. E com certeza vai ser um belíssimo Carnaval com a Aldeia revitalizada. Essa revitalização veio na hora certa”, disse a pedagoga Sergiane Pinto.

Revitalização – A Aldeia Amazônica David Miguel foi entregue completamente reformada em dezembro do ano passado e está pronta para receber as agremiações e o público nas arquibancadas e camarotes do espaço, que recebeu reforço estrutural dos pilares, pintura geral, revisão da cobertura, manutenção de infiltrações, melhoria nos pisos e do revestimento interno, troca de louças e de luminárias. O local comporta aproximadamente 1.600 pessoas.

“Foi muito importante a Prefeitura ter revitalizado aquele espaço que foi criado para isso. A gente tem uma sensação de valorização. Foi uma atitude louvável”, disse a jornalista Ellen Silva.

A programação oficial de Carnaval vai contar com o apoio das Secretarias Municipais de Saúde (Sesma), Urbanismo (Seurb), Saneamento (Sesan) e Meio Ambiente (Semma) e da Ordem Pública, Guarda Municipal de Belém (GMB), Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) e Fundação Papa João XXIII (Funpapa).