A Câmara de Vereadores de Belém votou o pedido de urgência sobre o projeto de lei da Prefeitura de Belém que institui o programa de renda mínima cidadã “Bora Belém”. O projeto proposto por Edmilson Rodrigues (PSOL), visa o enfretamento da extrema pobreza e do estado de calamidade pública decorrente da condição de vulnerabilidade social aguda. A votação do projeto está programada para acontecer sexta (08/01), a partir das 9h:30 na Câmara Municipal de Belém.

O requerimento que solicita urgência na votação do “Bora Pará” foi apresentada pelo vereador Fernando Carneiro (PSOL). O requerimento foi aprovado quinta (07/01) pelo plenário da Câmara Municipal com 31 votos à favor e uma abstenção (voto não computado por problemas técnicos). De acordo com o presidente da casa, o vereador Zeca Pirão (MDB), o projeto “Bora Belém” é de extrema importância para a população mais carente.

”Colocamos o projeto em pauta e o vereador Fernando Carneiro do Psol pediu em caráter de urgência essa votação, haja que precisamos seguir o que determina o regimento onde diz que para que algo seja votado em caráter de urgência esteja de acordo com o regimento interno”, disse Pirão.

O programa intitulado Bora Belém pretende atender, inicialmente, 9 mil pessoas que já fazem parte do Cadastro Único (CAD Único). O prefeito de Belém Edmilson Rodrigues informa que, a ideia é fazer uma busca ativa para garantir o benefício a quem precisa, estabelecendo o valor do benefício em R$ 450,00, por ser o valor médio da cesta básica na região.

Segundo dados do último censo do IBGE, a capital paraense conta com uma população de 1.393.399 pessoas. Desse total, 39% vive com até meio salário mínimo por mês, cerca de R$ 550, o que corresponde a mais de 400 mil pessoas.

Fontes: Catarina Barbosa e Redação G1 PA.