Bombeiros alertam sobre cuidados e regras para se evitar acidentes ao brincar com as pipas

O Corpo de Bombeiros Militar do Pará (CBM) alerta sobre os cuidados que devem ser adotados para prevenir acidentes com pipas. A linha parece inofensiva, mas não é. Quando encerada com vidro, tranforma-se em um instrumento de enorme poder de corte. O contato com a rede elétrica pode ainda provocar curto circuito e até uma descarga elétrica. Vale lembrar, observa a corporação militar, que há uma lei municipal proibindo o uso e comercialização de linhas enceradas.

O capitão Israel Souza, oficial do Comando-Geral do CBM, explica que a proibição se estende ao cerol e linhas chilenas. “É comum a adição de produtos à base de metais, em especial o alumínio, e quando ocorre o contato com a rede elétrica é real a possibilidade de choques, sem falar nos riscos de cortes graves para quem usa e para quem está perto nas ruas”, alerta. A legislação proíbe também a brincadeira em praças, praias e balneários, podendo ser realizada somente em áreas livres. Acidentes devem sempre ser comunicados pelo telefone 193, para atendimento de emergência.

Para garantir uma diversão segura, vale a pena seguir essas dicas do CBM:

– Utilize linhas de algodão, pois elas são menos perigosas. Nunca use linhas de fio de cobre ou com cerol;

– Preste atenção a motocicletas e bicicletas, porque a linha, mesmo sem cerol, é perigosa para os condutores;

– Procure um local aberto e distante de fios ou antenas para evitar choques elétricos, como campos de futebol e parques;

– Nunca solte pipas em dias de chuva ou com relâmpagos;

– De modo algum tente retirar pipas presas na rede elétrica ou árvores, nem faça pipas com papel laminado, pois há grande risco de choque e acidentes;

– Jamais solte pipa em lajes ou telhados, para evitar quedas;

– Tenha cuidado e observe onde pisa, principalmente quando andar para trás, para não cair;

– Caso a linha quebre, não corra atrás da pipa sem observar se o caminho é seguro, como atravessar ruas e passar por buracos;

– Use luvas ao soltar pipa, para não machucar as mãos.

Fiscalização – No fim do mês passado, a Polícia Civil, por meio da Delegacia do Consumidor, deflagrou no dia 26/05, uma operação que apreendeu grande quantidade de carretéis de linha chilena e com cerol, bobinas e equipamentos utilizados para enrolar carretéis no bairro Canudos, em Belém. O proprietário do material foi identificado, mas não estava no local. O mesmo foi qualificado e será intimado durante o inquérito que apura o caso.

Lei do Cerol – Projeto de Lei de 2011, chamado de “Lei do Cerol” proíbe o uso do produto, nacional ou importado, nos fios e linhas das pipas ou “papagaios”. O menor de idade flagrado utilizando cerol poderá ser encaminhado à delegacia, acompanhado dos pais, para ser lavrado o ato infracional baseado no artigo 132 do Código Penal, que trata do ato de colocar a vida de outra pessoa em perigo. Os pais podem ser qualificados no artigo 249 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) por descumprimento do pátrio poder, ou seja, por ter permitido que seus filhos brinquem com substâncias perigosas.