Banco Central do Brasil lançará edital com  260 vagas

Concurso do Banco Central do Brasil (BC) continua dependendo do Ministério da Economia para sair do papel, mas isso pode ser alterado caso o órgão ganhe autonomia. Presidente da Câmara dos Deputador, Rodrigo Maia comentou na última semana que a Casa deve aprovar em fevereiro de 2020, assim que retomado os trabalhos legislativos, o projeto que estabelece a autonomia do Banco Central.

Vale lembrar que o presidente Jair Bolsonaro chegou a assinar, em junho, um projeto de lei complementar que prevê a autonomia do órgão. Porém, o projeto não apresentou tramitações desde o fim do primeiro semestre.

Oportunidades

Está em análise na Economia um pedido que prevê o preenchimento de 260 vagas distribuídas entre três carreiras da seguinte maneira: 30 para técnico, 30 para procurador e 30 para técnico.

Os postos de analista e procurador aceitam candidatos com formação superior em diversas áreas de atuação – neste caso, os vencimentos correspondem a R$ 16.286,90 e a R$ 17.788,33, respectivamente.

Já a posição de técnico destina-se aos profissionais que possuem apenas ensino médio completo. O salário inicial oferecido para ocupa a posição é bastante atrativo: R$ 6.463,44 por mês. Vale ressaltar que as remunerações já incluem o valor do benefício-alimentação, que equivale a R$ 458 mensais.

Último edital

Em 2013, o concurso do Banco Central promoveu seleção com 500 vagas destinadas aos cargos de técnico e analista. Na ocasião, a banca organizadora foi o Cespe/UnB e a remuneração inicial oscilou entre R$ 5.158,23 e R$ 14.289,24.

O processo seletivo constou de prova objetiva, teste discursivo e análise de títulos – este último apenas para analista. Depois, houve um programa de capacitação aos candidatos aprovados. Todos os profissionais contratados foram lotados em Brasília (DF), Belém (PA), São Paulo (SP), Salvador (BA) e Porto Alegre (RS).