Azul Linhas Aéreas apoia educação infantil de comunidades ribeirinhas e quilombolas da Amazônia Legal

574-arquitetura-tipica-de-uma-das-comunidades-

São Paulo, 13 de junho de 2016 – Em uma ação para reforçar o trabalho realizado em comunidades ribeirinhas na região amazônica do Pará,  voluntários da Azul Linhas Aéreas Brasileiras, em parceria com a Associação Vaga Lume – instituição apoiada socialmente pela companhia há três anos – visitaram diversas bibliotecas locais do município de Oriximiná (PA) em uma expedição que durou três dias.

No período, os voluntários Auderluce Vieira, agente de Aeroporto de Macapá, Edimar Souza, agente de Aeroporto de Porto Trombetas e Paula Kubo, coordenadora de Comunicação Interna, Cultura e Responsabilidade Social da Azul, realizaram a ação que atingiu cerca de 200 pessoas de comunidades ribeirinhas com forte cultura quilombola da região.

“Entre as diversas frentes que a Azul apoia no Brasil por meio de sua área de Responsabilidade Social, a leitura é uma delas. Precisamos apostar em ações que desenvolvam crianças e adolescentes, uma vez que eles são o futuro. E considerando que a leitura é fundamental para o avanço de toda uma sociedade, sem dúvida estamos no caminho certo para uma contribuição neste sentido”, destaca Claudia Fernandes, diretora de Marketing e Comunicação da Azul.

A programação incluiu rodas de leituras, apresentações de capoeira, performances de teatro inspiradas nos contos preferidos das crianças, danças locais como o carimbó, dinâmicas sobre o projeto e muito intercâmbio cultural entre todos os presentes.

“Participar do Programa Expedição, da Vaga Lume, e contribuir como voluntária foi uma experiência incrível. O projeto é fruto de muita dedicação, persistência e convicção de que podemos transformar a vida de crianças e jovens dessas regiões. A partir do que vivi nesses dias, pude refletir o quão pequenos somos diante das dificuldades de pessoas que sobrevivem com o que a natureza oferece. E quão feliz eles em suas simplicidades”, relata Auderluce Vieira, voluntária líder de Macapá.

As próximas expedições do programa serão em Tefé (AM) e Macapá (AP). “Nela, voluntários da Azul também estarão presentes, pois essa é uma características de nosso Programa de Voluntariado. Por a mão na massa nas ações de nossos parceiros sociais”, conta Carolina Constantino, gerente de Comunicação, Cultura e Responsabilidade Social da Azul.

Histórico – Há 15 anos, as fundadoras da Associação Vaga Lume se depararam com um grave paradoxo. Apesar de ser uma das regiões mais ricas em recursos naturais do mundo, a Amazônia Legal, que representa 61% do território brasileiro, também apresenta um dos mais baixos níveis de investimento em educação. De acordo com estudo realizado pelo IBGE (2005), 42% da população amazônica acima de 15 anos não entende o que lê.

“Nossa intenção não é alfabetizar, mas sim investir na formação das pessoas. Além de montar as bibliotecas, cabe aos educadores enviados pelo projeto formar mediadores de leitura, agentes multiplicadores – todos voluntários – e cativar a população para as rodas de leitura, encontros em que a leitura de histórias mantém viva a cultura regional”, explica Sylvia Guimarães, presidente da Associação Vaga Lume.

Por meio da capilaridade da malha da Azul na região Norte e Centro-Oeste, a companhia contribui para a manutenção deste trabalho por meio do apoio social ao Programa Expedição, que oportuniza o acesso ao livro e à leitura a partir de uma metodologia desenvolvida pela Vaga Lume, em três ações interligadas: doação de estrutura para bibliotecas comunitárias, formação de voluntários como mediadores de leitura e o incentivo à gestão comunitária da biblioteca.

Hoje, em parceria com a Secretaria de Educação dos estados, a associação já construiu 148 bibliotecas em 23 municípios da Amazônia, que receberam cerca de 86 mil livros de literatura. E o resultado já pode ser notado: em pesquisa da USP, 47% dos jovens que vivem em comunidades onde existe a biblioteca Vaga Lume querem fazer faculdade, contra 23% onde não o projeto não está presente.

Conheça aqui mais sobre a atuação da Azul em Responsabilidade Social.

Sobre a área de Responsabilidade Social da Azul

Criada oficialmente em 2013, a área nasceu com o objetivo de profissionalizar e viabilizar a atuação socialmente responsável da companhia. Seu trabalho é dividido em duas frentes: apoio a projetos sociais e programa de voluntariado. Em 2016, consolidou sua crença em oferecer passagens aéreas como única forma de apoio. Redefiniu sua política de atuação focando em projetos no Brasil, os quais necessitem de passagens aéreas para serem realizados, além de também oferecerem oportunidades para trabalho voluntário para seus Tripulantes.  Tudo em linha com o conceito de servir encurtando distâncias, conectando pessoas e realizando sonhos. O Programa de Voluntariado Azul nasceu em 2014 com a incrível marca de 1.000 voluntários por todo país, que atuam localmente, em trabalhos com organizações parceiras e em qualquer ação promovida pela companhia, o que inclui também missões de assistência humanitária. Saiba mais sobre as instituições apoiadas e o Programa de Voluntariado aqui.

Sobre a Azul

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras é a companhia aérea com o maior número de destinos servidos no país. A empresa detém uma frota de 140 aeronaves, mais de 10.000 funcionários, um número superior a 900 voos diários, mais de 100 destinos servidos e um terço do total de decolagens do país. A qualidade de seus serviços já foi atestada por inúmeros prêmios, nacionais e internacionais. Em 2016, foi reconhecida como a empresa aérea low-cost mais pontual do mundo pela Official Airline Guide (OAG). No ano anterior, foi eleita pela quinta vez consecutiva pela Skytrax World Airline Awards como “Melhor companhia aérea low-cost da América do Sul”. Em 2014, a Azul foi reconhecida como melhor aérea low-cost do mundo pela CAPA – Centre for Aviation. Saiba mais em www.voeazul.com.br.

Sobre a Vaga Lume

A Vaga Lume é uma organização sem fins lucrativos, reconhecida pelo Ministério da Justiça como uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP). A organização acredita que o investimento nas pessoas e nas comunidades da Amazônia é uma forma de contribuir com as gerações presentes e futuras, promovendo o acesso à educação e a cultura, valorizando a diversidade cultural e a preservação do meio ambiente. Por isso, desde 2001, desenvolve projetos de educação e cultura em 148 comunidades rurais de 23 municípios da Amazônia Legal brasileira. Em seus quase quinze anos de atuação, a Vaga Lume criou metodologias inovadoras, passíveis de replicação, voltadas à promoção da educação de qualidade, da diversidade cultural e do desenvolvimento sustentável, que a fizeram receber inúmeros reconhecimentos nacionais e internacionais – entre eles, o Prêmio Leitura para Todos, do Ministério da Cultura, 2014; o Prêmio Empreendedor Social da Folha de São Paulo, finalistas de 2013; o Prêmio Jovens Lideranças, categoria Terceiro Setor, O Estado de S. Paulo e XYZLive, 2012; o Prêmio Inovação Intercultural, Aliança das Civilizações das Nações Unidas (UNAOC) e Grupo BMW, 2011; e o Prêmio Mérito ao Desenvolvimento Regional da América Latina e Caribe Juscelino Kubitschek, Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), 2009.

 

variedades – :: Revista Amazônia ::