O recente avanço do Novo Coronavírus (Covid-19) no Brasil e, consequentemente, no Pará trouxe recomendações sanitárias, cuidados com a saúde e estímulo ao consumo de produtos de higiene, que até o início do ano de 2020 não eram uma pauta regular nas compras do consumidor brasileiro, tais como, o álcool 70º líquido ou em gel. As prateleiras dos supermercados e farmácias começaram a sofrer com o desabastecimento na capital e no interior do Estado do Pará.

Pensando nisso, o coordenador do Laboratório de Química da Universidade do Estado do Pará (Uepa), professor João Carneiro, e discentes das graduações em Licenciatura em Ciências Naturais, com habilitação em Química e em Biologia do Campus XVIII, localizado na cidade de Cametá, na região do Baixo Tocantins, em parceria com as secretarias de Saúde, vinculadas às prefeituras de Limoeiro do Ajuru e de Cametá, estão produzindo o álcool 70º líquido para ser distribuído gratuitamente para as comunidades destes municípios.

“Estamos enfrentando sérias dificuldades de abastecimento, pois o produto sumiu do mercado e quando é encontrado está com preços abusivos. Portanto, com o aumento da demanda do uso do álcool 70° na região, a parceria com a Uepa poderá nos oferecer uma estratégia de resistência ao estender-se a comunidade de municípios da região do Baixo Tocantins, que tanto precisam e não tem acesso ao produto”, afirmou o secretário de Saúde do município de Limoeiro do Ajuru, José Raimundo Farias.

A participação dos discentes Nathalia Viana, Cintia Cardoso, Tiago Gonçalves e Kaio Cruz reafirma a atuação dos alunos nos processos que envolvem a ampliação acadêmica, por meio do exercício de práticas laboratoriais a partir de projetos de extensão, de monitoria ou voluntariado, assim como, também o desenvolvimento social, pois a produção será disponibilizada gratuitamente. “Nas próximas semanas iremos produzir tanto o álcool 70º líquido asséptico, quanto também o álcool em gel para disponibilizarmos para a população carente desta região do Baixo Tocantins, pois, além das cidades alcançadas, temos a ideia de atingirmos outros municípios que necessitam do produto”, ponderou o coordenador do Laboratório de Química do Campus XVIII da Uepa, professor João Carneiro.

“Estamos ajudando o nosso município e assim desenvolvendo o que a universidade é: ensino, pesquisa e extensão e de fato esses três são essenciais para que a Universidade possa atuar em auxílio da sociedade. Portanto, é para nós uma imensa alegria ajudar com os conhecimentos adquiridos ao longo do curso e estaremos sempre disponíveis para ajudar”, comentou a discente do curso de Ciências Naturais com habilitação em Química, Nathália Viana.

O processo de produção do álcool 70º líquido na Uepa de Cametá tem funcionado a partir da disponibilização de álcool 96º pelas prefeituras parceiras do projeto, para que seja diluído até atingir a concentração necessária para o efeito bactericida necessário no combate e prevenção contra o vírus da Covid-19. O Laboratório de Química do Campus XVIIII já produziu 130 litros de álcool 70º, que foram distribuídos de forma gratuita para as comunidades dos municípios de Limoeiro do Ajuru e Cametá.

“O abastecimento na nossa região tem ficado mais difícil a cada dia, sendo assim, mobilizar os discentes da Uepa em prol de sanar esse problema a partir da atuação do nosso Laboratório é a demonstração de que a ciência é nossa aliada no combate a essa pandemia e a Universidade pode salvar a vida das pessoas por meio de estratégias interessantes como esta da produção de álcool 70º a partir do álcool 96º”, disse a coordenadora do campus XVIII da Uepa, professora Natácia Silva.