A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) prossegue com a ação preventiva de saúde destinada à população carcerária de seis unidades prisionais da Região Metropolitana de Belém. O serviço foi retomado segunda (25/05), no Centro de Recuperação Feminino (CRF). Ao longo da semana, os atendimentos chegam à Central de Triagem Metropolitana III (CTM III), aos Presídios Estaduais Metropolitanos I, II e III (PEM I, II e III) e ao Centro de Recuperação do Coqueiro (CRC).

A ação segue até sexta (29/05) e visa intensificar o combate à Covid-19. Durante as atividades, os internos passam por triagem, que verifica oxigenação, temperatura e os demais sinais vitais dos custodiados. A partir da avaliação médica, também são feitos testes rápidos e fornecidos medicamentos, de acordo com as orientações da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa). Nas unidades em que ainda não foi concluída a campanha de vacinação contra a gripe, serão aplicadas as vacinas restantes para garantir a imunização de todos.

A diretora da Diretoria de Assistência Biopsicossocial, Sandra Costa, diz que o objetivo da ação é intensificar a prevenção ao novo coronavírus. “Os internos passam por avaliação da equipe de saúde diariamente, para checar os sintomas respiratórios e da Covid-19. Essa é a prevenção. Estamos trabalhando na prevenção para que possamos ter maior controle sobre o coronavirus nas unidades penais”.

A equipe responsável pela ação é composta por médicos e enfermeiros das próprias unidades e demais casas penais. Também compõem o corpo de profissionais psicólogos, assistentes sociais e integrantes da Diretoria de Reinserção Social da Seap. Os internos que, por indicação médica, precisem de reforço nutricional, têm o cardápio ajustado e são acompanhados por de nutricionistas.

Além do atendimento voltado ao novo coronavírus, continua o monitoramento de outras doenças, por isso, a ação compreende a atenção básica à saúde, para identificar outros possíveis males, como tuberculose, Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs), hipertensão, diabete e doenças coronárias, bem como processos gripais decorrentes e outras síndromes. Assistentes sociais também fazem levantamento quanto à documentação dos internos, para assegurar a emissão de Registro Geral (RG), Cadastro de Pessoa Física (CPF) e Cartão SUS. Os prontuários de saúde dos custodiados também serão avaliados e, quando necessário, atualizados.