Teatro, meio ambiente e valorização da terceira idade

730x250

No próximo domingo (21), o Museu Goeldi traz edição do “Programa Natureza”, juntando educação ambiental para o público infantil com conhecimentos produzidos pelo projeto “Potencialização e Valorização do Saber do Idoso”. Programação é parte da Semana Nacional de Museus

Agência Museu Goeldi – Como parte da programação da 15ª Semana Nacional de Museus, o Museu Goeldi recebe no próximo domingo (21), mais uma edição do “Programa Natureza”, ação educativa que estimula o ensino e a aprendizagem da ciência através do teatro. A atração traz o Macaco Ximbica e sua turma para um programa de auditório sobre a fauna, a flora e o homem da Amazônia.

A programação vai de 9h às 11h, no Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, com ingressos a R$ 3, com meia entrada para estudantes e gratuidade para crianças com até 12 anos incompletos e idosos acima de 60 anos.

Dessa vez, além das tradicionais brincadeiras e peça teatral, o programa destacará as atividades do Projeto “Potencialização e Valorização do Saber do Idoso”, com exibição de resultados de oficinas e outras atividades, incluindo objetos de miriti, bijuterias com sementes e pinturas em vitrais.

Coordenado por Filomena Secco, bióloga e servidora do Museu Goeldi, juntamente com Izabel Cristina Fagury, fisioterapeuta e educadora da Fundação Papa João XXIII, o Projeto “Potencialização e Valorização do Saber do Idoso” há 12 anos realiza oficinas, cursos e atividades culturais direcionados à terceira idade. O objetivo é promover a educação ambiental e científica desse público e reconhecer importância da sabedoria dos mais velhos para a sociedade.

Para Filomena Secco, o tema desse ano da Semana Nacional de Museus, “dizer o indizível”, está   ligado à mostra de resultados das oficinas realizadas no projeto. “Muitas vezes, quando as pessoas olham para um idoso, acham que ele não é mais capaz de produzir, ou aprender nada. Nem mesmo dizer algo de novo. Mas os produtos das oficinas provam que o idoso é capaz, sim, de produzir, de aplicar o conhecimento adquirido. As atividades desenvolvidas no projeto auxiliam no aprimoramento do saber científico desses idosos e proporcionam melhoria na qualidade de vida”, explica Filomena.

A Semana Nacional de Museus é um evento anual promovido pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) em comemoração ao Dia Internacional dos Museus, 18 de maio. A cada edição, o Conselho Internacional de Museus (Icom) lança um tema diferente para a celebração dessa data.

O Museu paraense Emílio Goeldi também participa da 15ª Semana Nacional de Museus, que traz a temática “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”.  Dentro dessa programação, além do “Programa Natureza” no domingo (21), haverá também Roda de Conversa sobre Estágios na segunda-feira (22), no Parque Zoobotânico da instituição. Já a partir da quarta-feira (24), acontece o Seminário “Museu Goeldi e Ponto de Memória da Terra Firme – Diálogo, troca de saberes e direito à memória”, no Campus de Pesquisa da instituição.

Texto: Marco Aurélio Gomes e Uriel Pinho

Serviço

15ª Semana de Museus no Museu Paraense Emílio Goeldi

Tema: “Museus e histórias controversas: dizer o indizível em museus”

21/05/2017 – 09h às 11h

MOSTRA das ações do Projeto “Potencialização e Valorização do Saber do Idoso” e Programa Natureza que é Semelhante a um programa de auditório comandado pelo Macaco Ximbica e sua turma, com temática relacionada à fauna, à flora, o ambiente e o homem da Amazônia.

LOCAL: Bambuzal, Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, Avenida Magalhães Barata, 376, São Braz

22/05/2017 – 09h às 12h

RODA DE CONVERSA Trabalho de estagiários em museus: ações e desafios. Roda de conversa sobre o trabalho de estagiários nos museus da Cidade de Belém.

Local: Castelinho, Parque Zoobotânico do Museu Goeldi, Avenida Magalhães Barata, 376, São Braz

Inscrições: eventos.seedu@museu-goeldi.br

24/05/2017 a 26/05/2017 – 09h às 12h

SEMINÁRIO Museu Goeldi e Ponto de Memória da Terra Firme-Comunidade: diálogo, troca de saberes e direito à memória.

Local: Campus de Pesquisa, Auditório Paulo Cavalcante, Av. Perimetral, 1901 – Terra Firme

Notícias

COMPARTILHAR