Sessão especial na CMB destaca ações de prevenção e combate ao diabetes

730x250

Dona Cândida do Socorro Gomes Garcia, de 46 anos, descobriu há quatro anos que é diabética. Depois do susto e com o início do tratamento que até hoje controla o avanço da doença, ela percebeu a importância das campanhas educativas e de prevenção realizadas pelos órgãos públicos. “Vi na televisão que estavam fazendo exames para saber quem tem diabetes. Eu fui ao pronto socorro e lá atestaram. Então é importante a campanha, porque muita gente não sabe que pode ter essa doença. Eu tenho pressão alta e não sabia, vim descobrir com os exames. Graças a Deus estou me tratando, até peguei amparo social porque não posso mais trabalhar”, desabafa.

A prevenção como fator determinante para evitar o aumento de casos como o da D. Cândida foi o tema da sessão especial em alusão ao Dia Mundial do Diabetes realizada pelo vereador Victor Dias (PTC), na manhã desta sexta-feira,10, na Câmara Municipal de Belém.

Segundo o vereador Victor Dias, apesar de todo o esforço das campanhas o tratamento oferecido pelo Sistema Único de Saúde aos pacientes de diabetes não é suficiente, por isso é importante discutir e conscientizar a população sobre a importância da prevenção. ” Uma a cada dez pessoas adultas no mundo tem diabetes, e se nós pudermos prevenir, com um plano de conscientização das pessoas de como diagnosticar precocemente o diabetes, vai sobrecarregar menos o SUS e a gente pode ter uma população mais saudável. Hoje estamos chamando todos os responsáveis pela saúde pública, entidades ligadas à saúde para se engajarem no trabalho de conscientização que estamos realizando por meio de várias ações durante todo esse mês, que é o Novembro Azul e inclui também a prevenção e o tratamento do diabetes”, declarou o parlamentar.


Coral da Clínica Cíntia Charone, em apresentação na sessão especial alusiva ao Dia Mundial do Diabetes.

O Dia Mundial do Diabetes, que é 14 de novembro,  foi criado em 1991 pela Federação Internacional do Diabetes com a OMS (Organização Mundial da Saúde), para fazer frente aos sobre os crescentes números de diagnósticos da doença em todo o mundo. Em Belém, a mobilização começou esta semana, sendo que neste sábado,11, será realizado o Mutirão do Diabetes com o objetivo de reduzir o índice de pessoas cegas precocemente em função dessa doença. O mutirão, que acontece no shopping Castanheira, na BR-316, das 10h às 20h, é uma iniciativa do Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Pará (UFPA)/ Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), formado pelos hospitais universitários João de Barros Barreto e Bettina Ferro de Souza.

Presente à sessão especial na CMB o coordenador do mutirão, oftalmologista Edmundo Almeida, do hospital Bettina Ferro, a ideia é alertar as pessoas para o diabetes. “Temos que ter em mente que o Brasil tem 14 milhões de diabéticos e que uma entre onze pessoas é diabética e não sabe disso. Então as pessoas acima do peso, sedentárias, precisam fazer o exame de glicemia, para saber se já não estão diabéticas. Já as pessoas diabéticas devem ser atendidas na prevenção de doenças decorrentes do diabetes como infartos,insuficiência renal e retinopatias que se não forem tratadas, podem levar à cegueira”, alerta o especialista.

No Pará 340 mil pessoas foram diagnosticadas com diabetes. Desse total, 60 mil casos foram registrados em Belém. O governo do Estado é responsável pela distribuição da insulina, fundamental para o tratamento dos pacientes, o que significa um alto investimento para os cofres públicos.  “Abordar o tema para fazer a prevenção da doença, é uma das missões do poder público. O governo realiza campanhas contínuas estimulando a realização dos exames, para o diagnóstico e o tratamento necessário, então quanto mais pessoas estiverem conscientes de que podem evitar o diabetes com as medidas de prevenção, menos custos haveria com a compra de insulina”, avalia a secretária-adjunta de Saúde do estado, Heloísa Melo Guimarães.

 

Câmara Municipal de Belém

COMPARTILHAR