Romaria Fluvial

A imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré, foi transportada pelo 20º ano consecutivo, no Navio Hidroceanográfico “Garnier Sampaio”

A embarcação da Marinha do Brasil, com a Rainha da Amazônia em uma redoma de vidro em sua proa, decorada com belas flores naturais, por Simone Cosme, saiu do Trapiche do Distrito de Icoaraci, navegando pelas águas barrentas da Baía do Guajará, abençoando ribeirinhos e todos os que assistiam a procissão fluvial, em direção à Belém. Eram 9h da manhã do 2º sábado de outubro, quando o Garnier Sampaio zarpou de Icoaraci, em romaria, acompanhado de várias e variadas outras embarcações e jet skis, em direção à Escadinha do Cais do Porto, na Praça Pedro Teixeira, no início da Avenida Presidente Vargas

Estavam a bordo, autoridades civis e militares: Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra, Paulo Cezar Kuster, o Comandante do 4º Distrito Naval e o Vice-Almirante Edervaldo Teixeira de Abreu Filho, além de membros da diretoria da Festa e convidados especiais.

335 embarcações foram cadastradas para participar da Romaria e cerca de 400 participaram do Círio Fluvial.

Para  Dom Alberto Taveira: “Esse é um momento que nos surpreende a cada ano pela intensa participação das pessoas”, disse. O arcebispo também constatou um aumento no número de fiéis na chegada da imagem peregrina a área da Escadinha da Estação das Docas.

Garantindo a organização e a segurança da navegação durante a Romaria Fluvial, a Marinha utilizou seis navios, nove embarcações e duas motoaquáticas.

Por volta de 11h da manhã, a imagem peregrina de Nossa Senhora de Nazaré desembarcou na Praça Pedro Teixeira, na área da Escadinha. A imagem foi recebida com honras de chefe de Estado (Lei Estadual nº 4.371, de 15 de dezembro de 1971, proclamando a Virgem de Nazaré, Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia) pelo Grupamento de Cadetes da Polícia Militar do Pará que estavam com o modelo do primeiro uniforme oficial da Cavalaria da PM, datado de 1818.

A estimativa, segundo a Diretoria da Festa de Nazaré, é de que cerca de 40 mil pessoas participaram do momento da chegada da Padroeira dos Paraenses à Escadinha para o início da Moto Romaria, um aumento de 10% em relação ao ano passado. “A Romaria Fluvial é um momento muito intenso, onde as pessoas que vivem e tiram o sustento do rio podem prestar suas homenagens a Nossa Senhora”, avaliou Beto Souza, diretor do Círio de Nazaré.

COMPARTILHAR