O que a Apple está fazendo para se 'desculpar' com donos de iPhones antigos

A Apple pediu desculpas e anunciou medidas para recuperar a confiança dos clientes após enfrentar críticas – e virar alvo de processos – por admitir que deliberadamente torna mais lentos alguns modelos antigos de iPhone.

Clientes suspeitavam de que a lentidão seria uma estratégia da empresa para levá-los a substituir seus aparelhos por novos, o que a companhia nega.

Segundo a empresa, a medida tem sido tomada devido à piora no desempenho da bateria à medida que os modelos envelhecem. O objetivo seria evitar que o smartphone desligue sozinho e “prolongar a vida útil” dele.

  • Oito anos após lei, como Anvisa e farmacêuticas querem diminuir falsificações e roubos de remédios
  • Saiba quais são os celulares em que o WhatsApp vai parar de funcionar em 2018

Em meio à polêmica, a Apple diz agora que vai cobrar menos para substituir as baterias e que lançará em 2018 um software para que os usuários possam monitorar a “saúde” de seus iPhones.

Em um comunicado publicado em sua página na internet, a empresa informou que reduziria o preço da substituição de bateria fora de garantia de US$ 79 (R$ 261,88) para US$ 29 (R$ 96,13) para qualquer pessoa com um iPhone 6 ou posterior.

Também disse que estava levando adiante medidas para “responder às preocupações dos clientes, saudar sua lealdade e recuperar a confiança de qualquer um que tenha duvidado das intenções da Apple”.

“Na Apple, a confiança dos clientes é tudo. Nunca vamos parar de trabalhar para conquistá-la e mantê-la. Só conseguimos fazer o trabalho que amamos por causa da sua confiança e de seu apoio – e nunca vamos nos esquecer disso, e nem considerar como algo garantido”, afirmou.

A empresa enfrenta oito ações diferentes nos Estados Unidos relacionadas ao caso. Também é alvo de processos em Israel e na França.

“As baterias de íon de lítio tornam-se menos capazes de suprir demandas de picos de corrente quando submetidas ao frio, quando têm uma carga fraca ou à medida que envelhecem, o que pode resultar no desligamento inesperado do dispositivo para proteger seus componentes eletrônicos”, afirmou a companhia após admitir que deixava mais lentos os aparelhos.

A Apple tem enfrentado algumas turbulências nos últimos tempos.

Em novembro, foi forçada a lançar uma atualização para corrigir um problema de segurança no sistema operacional Mac, que tornava possível acessar os computadores, e com poderes administrativos, sem usar senha.

Na última quinta-feira, veio à tona que a gigante de tecnologia solicitou a seu executivo-chefe, Tim Cook, que use apenas aviões particulares tanto para transporte comercial quanto pessoal, por razões de segurança.

BBC Brasil – Primeira página

COMPARTILHAR