Fotógrafo cria montagens com fotos e pinturas famosas

O fotógrafo brasileiro Rafa Pires atua em processos de construção de imagens desde muito cedo, trabalhando com o Photoshop desde a versão 5.0 e atuando como diretor de arte em agências. Por gostar de produções mais elaboradas, Rafa desenvolveu uma série de imagens chamada “Entre o (ir)real e o (quase)imaginário”, onde ele utiliza pinturas e fotografias famosas, criando a partir delas uma nova imagem.

Em entrevista ao Portal Photos, o fotógrafo contou que sempre educou seu olhar para perceber sutilezas. Durante a realização de seu projeto, Rafa notou que a foto da Menina Afegã e a Mona Lisa possuíam a mesma iluminação e que a composição do Steve McCurry também dá o mesmo efeito de que estamos sendo seguidos pelos olhos da protagonista. Para a sua surpresa, não foi só a luz se encaixou, mas também toda a anatomia e as proporções presentes na imagem. Surgiu então, a partir desse resultado, a primeira imagem da série.

Para a criação da série, a maior fonte de ideias e repertório de imagens foram suas aulas na faculdade. Seus professores sempre incentivaram muito a pesquisa e o “consumo” de imagens. Rafa sobrepôs as fotos digitalmente para determinar o tamanho e a proporção em que deviam ser impressas. Depois disso, todo o processo foi manual: a impressão foi feita em papel sulfite em tamanho A4, para que as fibras do papel ficassem evidentes quando rasgadas, e então foram fotografadas com uma lente 50 mm ou 100 mm aproveitando ao máximo o espaço do sensor da câmera. Também foi escolhido cuidadosamente o substrato para impressão das imagens prontas, utilizando a impressão em canvas, para que as montagens ficassem mais semelhantes à pinturas.

O foco principal do trabalho todo é mostrar para as pessoas que depois que entregamos uma foto ao mundo, não temos mais o controle sobre ela. Cada um a interpreta segundo suas pré-concepções e sua bagagem cultural.

“Escolhi cuidadosamente as fotos e pinturas mais conhecidas, além de tentar mostrar aos outros essa minha visão meio maluca das coisas. Eu acabei me apaixonando pela história de cada foto e gostaria que esse trabalho instigasse as pessoas a pesquisar sobre cada uma delas. Toda grande foto possui uma grande história, não é a imagem em si que importa, mas todo o entorno, todo o contexto social e histórico. Sei que algumas pessoas vão consumir essas imagens apenas esteticamente, mas, também tenho certeza de que alguns vão interpretá-las de forma mais profunda, pois conhecem a história por trás de cada uma das fotos.”

Resumo Fotográfico

COMPARTILHAR