Estudantes participam da segunda edição do Café Mundiar

730x250

Estudantes da rede pública estadual participaram na tarde desta sexta feira (20), no plenário da Câmara Municipal de Santarém, na região oeste do Pará, da segunda edição do Café Mundiar, programa educacional desenvolvido pelo governo do Estado, por meio da Secretaria de Educação (Seduc). O encontro contou com a participação de nove instituições de ensino, e foi uma grande oportunidade para troca de experiências e conhecimentos entre os participantes do projeto, que receberam um incentivo à parte de profissionais destacados em outras áreas. O Projeto Mundiar foi implantado em 2014 pela Seduc, em parceria com a Fundação Roberto Marinho, beneficiando alunos do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e ensino médio. O “Mundiar” visa minimizar a distorção idade-ano, além de combater a evasão escolar. Atua com jovens em defasagem escolar a partir dos 13 anos para o ensino fundamental (com duração de 24 meses) e 17 anos para o ensino médio (com duração de 18 meses). Referências – De acordo com o coordenador estadual do Projeto Mundiar, Marcos Lopes, o Café proporciona aos alunos um momento de reflexão sobre a escolha profissional, por meio de relatos de pessoas que hoje são referências em suas respectivas áreas. “Estamos realizando nossa segunda edição. Estivemos em Belém, e hoje em Santarém. O Café Mundiar é preparado para o aluno. Trouxemos vários profissionais, de diferentes áreas, para que esses estudantes, que estão em distorção idade-ano possam se espelhar nesses profissionais, e seguir em frente”, explicou o coordenador. Um dos relatos da vida estudantil foi feito pelo arquiteto José Reginaldo Pinto de Abreu. Formado em Arquitetura pela Universidade Federal do Pará (UFPA), ele contou que percorreu um longo caminho até chegar aonde almejou, mas foi tudo graças à persistência e a educação.  “Assim como muitos deles, também vim de família humilde e com muitos filhos. Mas graças a Deus pude conquistar vitórias por meio da educação, e é isso que devemos passar aos jovens”, afirmou o arquiteto. Santarém – Atualmente, o projeto é executado em 100 dos 144 municípios paraenses, e mais de 50 mil alunos já foram beneficiados. Em Santarém, o projeto é supervisionado pela 5ª Unidade Regional de Educação (5ª URE), e realizado em 78 turmas de ensino fundamental e médio. A segunda edição do Café Mundiar contou com a participação de alunos das escolas Aluízio Lopes Martins; Álvaro Adolfo da Silveira; Frei Ambrósio; Frei Othmar; Terezinha de Jesus Rodrigues; José de Alencar; Rio Tapajós, Romana Tavares Leal e Wilson Fonseca.
Agência Pará de Notícias

COMPARTILHAR