Edital de Bioeconomia é destaque da 53ª reunião do Capda

Por: Revista Amazônia

Capda-700x414 Edital de Bioeconomia é destaque da 53ª reunião do Capda CapdaO edital de chamamento público para a seleção da instituição que irá coordenar os projetos de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D) do Programa Prioritário de Bioeconomia foi um dos temas debatidos na 54ª Reunião Ordinária do Comitê das Atividades de Pesquisa e Desenvolvimento na Amazônia (Capda), realizada ontem, terça-feira (6), na sede da SUFRAMA.  O prazo de inscrição vai até o dia 9 de março.

O Programa Prioritário de Bioeconomia consiste no desenvolvimento de soluções para a exploração econômica sustentável da biodiversidade, abrangendo: prospecção de princípios ativos e novos materiais a partir da biodiversidade amazônica; biologia sintética, engenharia metabólica, nanobiotecnologia, biomimética e bioinformática; processos, produtos e serviços destinados aos diversos setores da bioeconomia; tecnologias de suporte aos sistemas produtivos regionais ambientalmente saudáveis; tecnologias de biorremediação, tratamento e reaproveitamento de resíduos; negócios de impacto social e ambiental; e o estabelecimento ou aprimoramento de Incubadoras e Parques de Bioindústrias.

Programas Prioritários são um conjunto de projetos voltados ao desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação considerados de grande relevância para o desenvolvimento regional.  Além da Bioeconomia, o comitê selecionou outros dois Programas Prioritários: Economia Digital, coordenado pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT), e Formação de Recursos Humanos, sob a coordenação da Fundação Muraki.

A primeira reunião do ano foi presidida pelo secretário de Inovação e Novos Negócios do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) e coordenador do Capda, Marcos Vinícius de Souza, e contou também com a presença do superintendente da SUFRAMA, Appio Tolentino, do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional da autarquia, Marcelo Pereira, secretário-executivo do Comitê, e dos demais representantes de órgãos de pesquisa e fomento, órgãos governamentais e classes produtoras e científicas integrantes do Capda, além de servidores do Tribunal de Contas da União (TCU), que está realizando uma auditoria sobre a gestão de P&D na região.

Prestação de contas

Na reunião, representantes do INDT e Fundação Muraki apresentaram aos comitentes um resumo de prestação de contas das principais ações desenvolvidas pelas instituições como coordenadoras dos projetos de Programas Prioritários.

O diretor de Programa Prioritário do INDT, Clemilton Gomes, informou que em seis meses de atuação a instituição captou o total de R$ 9,2 milhões de empresas como a Transire, Dense, Envision, Flex, Tesa, GBR, Fujifilm e Kodak, e já criou três startups: Arkanjo, Safelatina e a Plugae. Essas startups irão desenvolver projetos de Internet das coisas (IoT); Segurança e defesa cibernética; Cidades Inteligentes (Smart Cities); Integração, processamento e análise de grandes volumes de dados (Big Data) e computação em nuvem; Manufatura avançada (4.0); Tecnologias de informação e comunicação aplicadas às áreas de saúde, educação, segurança, energia e mobilidade; e Telecomunicações.

A projeção da instituição é que a Startup Arkanjo irá gerar 48 empregos diretos em até cinco anos, a Plugae criará 20 empregos diretos em um ano e a Safelatina criará 15 vagas direta em um ano e que, somadas, elas gerarão mais de 400 postos de trabalho indiretos na região. “Para se comunicar melhor com potenciais investidores, o INDT criou ainda um jogo chamado de ‘Zero a Herói’ no qual detalha as 22 etapas por que passa uma startup até sua consolidação no mercado”, salientou Gomes.

Já o diretor de Programa Prioritário da Fundação Muraki, Fernando Moreira, explicou que em quatro meses de atuação a instituição contatou 53 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM) para mapear a demanda pela formação de profissionais nas áreas de Engenharias; Computação e tecnologias da informação; Bioeconomia; Pesca e aquicultura; Produção agropecuária e agroflorestal sustentável; Fármacos e cosméticos; Energias renováveis; Ciência e tecnologia dos alimentos; e Empreendedorismo.

Segundo Moreira, seis delas já fizeram aporte e a Muraki captou um montante superior a R$ 1,9 milhão, mas está em fase de negociação o volume somado de R$ 11 milhões referentes a mais 12 empresas. “Neste semestre, iniciaremos os primeiros dois cursos criados e financiados no Programa Prioritário: MBA de Gestão Industrial, ministrado pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL Amazonas), e o MBA em Internet das Coisas, ministrado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam)”, detalhou Moreira.

Invenções e patentes

Em seguida, o pesquisador Manoel Cardoso apresentou três invenções coordenadas por ele, financiadas com recursos de P&D e desenvolvidas por profissionais amazonenses: o Julia, um aparelho que transforma em áudio os gestos feitos em Libras; a tomada inteligente e o capacete Mind Field Communication.

Depois, o diretor de P&D da Samsung, Fernando Arruda, apresentou um panorama dos investimentos globais em ciência e tecnologia realizados pela companhia sul-coreana. “A Samsung possui 34 centros de P&D espalhados em 17 países. Ao todo, são mais de 63 mil profissionais e o investimento total em pesquisa e desenvolvimento é de US$ 14 bilhões por ano, mais de US$ 37 milhões por dia”, salientou.

Arruda explicou que os projetos são decididos pela matriz com linhas de ação coordenadas globalmente. O centro de Manaus tem participação em todos os desenvolvimentos de software em dispositivos móveis da empresa na América Latina. “Nosso cálculo é que em Manaus foram desenvolvidas melhorias de processos e de codificação que representaram mais de R$ 10 milhões de economia para a empresa. A Samsung já apresentou 117 patentes. Recentemente, o Brasil nos concedeu a primeira patente de uma inovação apresentada em 2006. Levou mais de dez anos, que é a média do Brasil para a concessão de patentes”, observou.

Credenciamento e CBA

Os comitentes também aprovaram o credenciamento do Instituto de Tecnologia e Biotecnologia do Amazonas (Itbam), do Instituto de Tecnologia do Amazonas (Fit) e do Instituto Eldorado.

O diretor substituto da Secretaria de Inovação e Novos Negócios do MDIC, José Henrique Videira Menezes informou que, em data ainda a ser definida, o governo federal irá abrir um edital para selecionar uma entidade privada para coordenar as atividades do Centro de Biotecnologia da Amazônia (CBA). “Isso se tornou possível com a publicação recente do Ministério do Planejamento de um normativo que dispõe sobre as regras de qualificação das Organizações Sociais (OS) do Executivo Federal e pelo qual se definem os requisitos para exercer a gestão compartilhada de atividades que não são finalísticas do Estado”, explicou Menezes.

variedades – Revista Amazônia – Muitas Amazônias uma só revista

COMPARTILHAR