De quem é citação usada por Barack Obama no tuíte mais curtido da história do Twitter?

730x250

‘Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor da pele ou por suas origens ou por sua religião…’, escreveu no domingo o ex-presidente Barack Obama no Twitter, na esteira da violência que eclodiu nas manifestações de grupos de extrema-direita em Charlottesville, nos Estados Unidos.

Até a manhã desta quarta-feira, o post tinha recebido 3,1 milhões de curtidas e se transformou no tuíte mais popular da história do Twitter, com bem mais interação do que suas publicações quando estava à frente da Casa Branca. Junto à mensagem, Obama publicou uma fotografia em que aparece sorrindo para crianças de diferentes etnias.

Esse e outros dois tuítes de Obama vieram em resposta aos confrontos entre supremacistas brancos e opositores na cidade do Estado da Virgína. Na ocasião, um veículo avançou sobre uma multidão de manifestantes, deixando um morto – a ativista Heather Heyer, de 32 anos – e 19 feridos.

  • Os segredos de 5 dos países com maior expectativa de vida

O próprio Twitter deu a notícia do recorde na terça-feira à noite. “Este tuíte de Barack Obama é agora o mais curtido de todos os tempos”, escreveu em seu perfil oficial na rede social.

Ele superou o tuíte publicado pela cantora pop Ariana Grande em que expressa condolências após o ataque terrorista à arena de Manchester em 22 de maio, que matou 22 pessoas e deixou 60 feridos.

Mas embora milhares de usuários tenham agradecido a Obama por sua mensagem de tolerância, a frase que tanto sucesso fez no Twitter não é dele.

Obama estava citando uma frase do primeiro presidente negro da África do Sul, Nelson Mandela, que liderou a luta contra a segregação racial no país.

Mandela, que passou 27 anos na prisão por conta de seu ativismo, ganhou o Nobel da Paz em 1993 e tornou-se presidente entre 1994 e 1999. Ele faleceu em 5 de dezembro de 2013.

  • As estátuas que dividem os Estados Unidos e provocam confrontos

Nas três mensagens que Obama escreveu no Twitter pelos episódios de violência de Charlottesville, ele usa fragmentos da autobiografia de Mandela, O Longo Caminho para a Liberdade.

“As pessoas aprendem a odiar, e se aprendem a odiar, também podem aprender a amar…”, escreveu Obama no segundo tuíte, que recebeu 1,3 milhão de curtidas até a manhã desta quarta-feira.

“Por que o amor vem mais naturalmente ao coração humano do que o oposto”, afirmou no último tuíte, com 1,1 milhão de curtidas no mesmo período. É nesse último tuíte que Obama deixa claro que as frases são de Nelson Mandela.

A imagem de Obama com as crianças foi tirada pelo fotógrafo oficial da Casa Branca, Pete Souza, em 2011, durante visita a uma creche em Bethesda, Maryland, nos Estados Unidos.

BBC Brasil – Primeira página

COMPARTILHAR